2010-07-05

Subject: Avós prestáveis unem humanos e orcas

 

Avós prestáveis unem humanos e orcas

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

Orcas @SPL & BBC

Os cientistas descobriram uma razão evolutiva pela qual humanos e baleias com dentes têm avós: à medida que as fêmeas pós-menopausa envelhecem, dizem eles, tornam-se cada vez mais interessadas e prestativas na criação dos seus 'netos'.

Esta situação pode explicar porque motivo as fêmeas dos grandes símios e das baleias com dentes têm tempos de vida que vão bem além dos seus anos reprodutivos. A descoberta é relatada na última edição da revista Proceedings of Royal Society B.

A "hipótese da avó" foi proposta pela primeira vez já na década de 50 do século XX. Afirmava na altura que a menopausa, termina a fertilidade feminina bem antes do termo do seu tempo de vida, pode ter evoluído em benefício do grupo social, pois as avós continuavam a ter um importante papel no cuidado das crias já nascidas.

Michael Cant, da Universidade de Exeter, Reino Unido, foi um dos autores deste artigo e explica que ele e o seu colega Rufus Johnstone, analisaram a forma como humanos e baleias equilibravam "os custos e benefícios da reprodução com os custos e benefícios de terminar a reprodução".

Johnstone, biólogo evolucionista na Universidade de Cambridge, refere: "É fácil esquecer os cetáceos mas dado que eles são os únicos outros mamíferos não humanos onde as fêmeas têm um tempo de vida pós-reprodutivo comparável, é importante estudá-los neste contexto."

 

Estudos anteriores tinham sugerido que as fêmeas dos chimpanzés e dos gorilas também passavam pela menopausa mas as conclusões são controversas.

Os dois cientistas desenvolveram um modelo matemático para estudar a "dinâmica de relações" em orcas, baleias-piloto e humanos. O modelo revelou que, à medida que as fêmeas pós-menopausa envelheciam os laços que desenvolviam com os juvenis se tornavam mais fortes.

Isto demonstrou, dizem os cientistas, uma "semelhança subjacente" entre as baleias e os grandes símios que pode estar a ser mascarada por diferenças importantes nas suas estruturas sociais específicas.

"A nossa análise pode ajudar a explicar o motivo porque, de todos os mamíferos sociais de vida longa, é especialmente entre os grandes símios e as baleias com dentes que a menopausa e a ajuda pós-reprodutiva evoluiu", escrevem os investigadores no seu artigo agora conhecido.

Eric Ward, cientista da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional americana (NOAA) em Washington, também desenvolveu investigação sobre a influência das fêmeas pós-reprodutivas nas populações de baleias e comenta: "O modelo que os autores propõem é certamente interessante e pode explicar a evolução da menopausa em orcas." 

 

 

Saber mais:

Proceedings of the Royal Society B

O que fazer com as orcas em cativeiro?

Orcas frequentam clubes sociais

Orcas fazem ondas para caçar

 

 

Twitter simbiotica.orgFacebook simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.orgClique para deixar de subscrever esta newsletter

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2010


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com