2010-05-07

Subject: Castores constroem barragem de 850 metros no Canadá

 

Castores constroem barragem de 850 metros no Canadá

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

@ CiênciaHojeUm investigador canadiano descobriu uma barragem construída por castores, a maior do mundo natural, isolada e selvagem a norte do Canadá, através do Google Earth. 

A barragem mede 850 metros de comprimento, muito maior que a médica considerada normal num trabalho deste tipo, que não ultrapassa por norma os 100 metros. Acredita-se que esta obra terá começado na década de 1970. 

“Várias gerações de castores trabalharam na construção que continua a aumentar”, afirmou Jean Thie, o ecologista que descobriu a barragem quando tentava medir, com a ajuda de fotografias por satélite a camada de permafrost (porção de gelo, terra e rochas permanentemente congeladas).

O mesmo investigador concluiu que já em 1990 o dique era visível em imagens da NASA.

A obra situa-se no Parque Nacional Wood Buffalo, no norte de Alberta. Os funcionários da reserva já tinham sobrevoado a área, mas, devido à densidade da área pantanosa, não conseguiram observar muitos detalhes. No entanto, Mike Keizer, porta-voz do parque, garantiu que “é muito antiga. Quando um dique é mais novo apresenta toros de lenha de corte recente. Nestes, a erva cresce. A aparência é de muito verde”.

Jean Thie reparou ainda que os castores estão a construir outros dois diques de cada lado da barragem principal e quem em dez anos as estruturas vão formar uma única barragem com mais de 950 metros de comprimento.

 

O objectivo deste pequeno animal é criar reservatórios de água onde possam proteger-se de predadores, fazendo fluir o próprio alimento e os materiais de construção que utilizam. Thie realça: “É um fenómeno único − diques construídos por roedores visíveis do espaço”.

@ CiênciaHojeAté à descoberta desta barragem, pensava-se que a mais longa conhecida no mundo animal era de 652 metros situada em Montana, nos Estados Unidos, que faz fronteira com Alberta, no Canadá.

O castor, que já esteve perto da extinção pelo comércio das peles nos séculos XVII e XVIII, voltou com força aos antigos habitats em toda a América do Norte.

O investigador que deu de caras com esta obra natural afirma que “há diques por todo o Canadá e algumas colónias de castores contam com cem animais por quilómetro quadrado”.

 

 

Saber mais:

Castor jurássico nadava com dinossauros

 

 

Twitter simbiotica.orgFacebook simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.orgClique para deixar de subscrever esta newsletter

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2010


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com