2004-04-12

Subject: Canadá a postos para a maior caçada à foca

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Canadá a postos para a maior caçada  à foca

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

A maior caçada única à foca em mais de meio século deverá ter início na próxima segunda-feira, no Canadá. O governo autorizou a morte de mais de 30000 focas este ano, muitas quais numa chacina em massa com a duração de 36 horas. 

A caça de jovens focas, pela sua pele, ao largo a costa do Canadá, praticamente parou há 25 anos, após uma onda internacional de indignação. Os activistas dos direitos dos animais esperam, novamente, colocar a opinião pública internacional contra a caçada mas o governo canadiano considera-a, agora, humana e necessária. 

A caça à foca nas regiões de Newfoundland e do Labrador entrou em declínio há 25 anos, após as imagens brutais de homens espancando focas bebés com tacos de basebol serem mostradas ao mundo horrorizado. 

Os Estados Unidos baniram as importações de produtos de foca em 1972 e a União Europeia fez o mesmo uma década depois, banindo a importação de peles brancas, retiradas das focas mais jovens. Como resultado, o governo canadiano reduziu as quotas de abate de focas para números tão baixos como 15000 por ano, principalmente para carne e artesanato local. 

Mas agora, com o regresso da pele à moda internacional, a caça está de volta. No ano passado, o Canadá voltou a aumentar as quotas novamente, permitindo a morte de um milhão de focas no espaço dos próximos 3 anos. 

A caça decorre agora segundo regulamentos mais rigorosos e na sua maioria as focas são mortas a tiro e não com tacos de basebol, mas o número de animais abatidos este ano é o maior em várias décadas, voltando a atrair a atenção internacional. 

No fim de semana, o ministro canadiano dos recursos naturais, John Efford, considerou falsas a maioria das alegações sobre a caçada feitas internacionalmente, pois a caça é mais humana que nunca e o efectivo de focas está excessivamente elevado, causando danos aos stocks de peixe comercial da zona. 

 

No entanto, contra imagens de focas a morrer, estes argumentos podem ser difíceis de passar para a opinião pública internacional. A comissão de turismo canadiana admitiu na semana passada que esperam uma perda de turistas, à medida que os protestos sobem de tom. 

Os números oficiais estimam que existam 5,2 milhões de focas no Atlântico norte, actualmente. Assim, longe de estarem ameaçadas de extinção, as focas estão a causar danos aos stocks de bacalhau, alegam as autoridades. Os activistas pelos direitos dos animais, pelo contrário, acusam o governo canadiano de tentar fazer das focas "bodes expiatórios" para a sua própria incompetência na gestão dos stocks pesqueiros. 

O International Fund for Animal Welfare (IFAW) considera igualmente que as directrizes para métodos de caça mais humanos estão a ser ignorados. Filmamos e observámos pessoalmente as focas a serem esfoladas vivas, explica a activista do IFAW Rebecca Aldworth. Vimos focas vivas e conscientes a serem arrastadas para os barcos com ganchos e arpões, pilhas de focas mortas e moribundas, foi uma visão horripilante. 

Outro grupo de defesa dos direitos dos animais, a Humane Society, está a publicar anúncios de página inteira nos principais jornais americanos, onde pede um boicote nas viagens ao Canadá, bem como a distribuir T-shirts onde se lê "Club Sandwiches Not Seals" (trocadilho que se perde na tradução, pois club significa bater com um taco de basebol, e a expressão club sandwich refere sandes de pão cacete, compradas feitas para uma refeição rápida).

 

 

Saber mais:

Canada Department of Fisheries and Oceans

International Fund for Animal Welfare

Humane Society

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com