2010-04-09

Subject: 1/4 dos lobos das Rockies mortos na primeira caçada em décadas

 

1/4 dos lobos das Rockies mortos na primeira caçada em décadas

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

A primeira época de caça para o em tempos classificado como espécie em risco de extinção lobo cinzento das Montanhas Rochosas desde há décadas chegou finalmente ao fim, deixando o que se estima em 500 lobos mortos.

Segundo a Earth Justice, cerca de 250 desses lobos foram mortos por caçadores com licenças oficiais e outros 250 foram abatidos por agentes federais e estatais em protecção do gado.

No final do ano passado estavam contabilizados 1700 lobos cinzentos na zona mas após o abate de 500 indivíduos pode-se considerar que cerca de um quarto da população foi dizimada.

Desses lobos, 188 foram caçados e mortos no estado do Idaho e outros 75 foram mortos no estado do Montana. A época de caça que teve início no ano passado foi extremamente controversa, com muitos conservacionistas e biólogos a defenderem (com toda a razoabilidade) que população de lobos selvagens devia ter hipótese de estabilizar algures entre os 2 e os 6 mil animais antes de a caça voltar a ser permitida.

Houve uma batalha longa e suja para tentar proteger os lobos, que foram caçados até ao limiar da extinção por volta da década de 30 do século passado. Reintroduzidos na natureza em 1995, as suas populações cresceram lentamente, tornando os lobos uma das maiores histórias de sucesso da conservação da fauna selvagem nos Estados Unidos.

 

Depois de tudo isto, apenas cinco anos depois, as pessoas decidiram que queriam voltar a caçar lobos.

Houve uma miríade de batalhas judiciais e os lobos acabaram retirados da Lista de Espécies Ameaçadas, colocados novamente por ordem dos tribunais e novamente retirados pela administração Bush. Ken Salazar, o secretário do interior da administração Obama, decidiu finalmente manter a desclassificação de Bush e os lobos ficaram à mercê dos caçadores no Montana e no Idaho (só sobrou o estado do Wyoming, onde o seu efectivo permanece muito baixo).

E mesmo apesar de 500 em 1600 parecer um naco bastante grande da população, o mais triste é que podia ter sido bem pior: a caçada andou muito perto dos limites legais e fica-se completamente de boca aberta com o facto de terem sido emitidas 6 mil licenças, só no Idaho, antes da época de caça ter tido início.

No entanto, a estabilidade da espécie continua em questão. A Earth Justice continua a fazer campanha a favor da protecção dos lobos pois, como explicam em comunicado, no Outono passado um juiz federal concordou com os advogados da Earth Justice que a caçada era ilegal mas permitiu que continuasse. 

O primeiro lobo morto no Idaho foi logo dia 1 de Setembro, no dia de abertura da estação de caça e os caçadores do Montana começaram a disparar a 15 de Setembro, atingindo o limite estatal de 75 indivíduos abatidos tão rapidamente que a estação foi abruptamente interrompida em Novembro.

A Earth Justice, que representa 13 organizações conservacionistas, continua a sua batalha legal contra a retirada da espécie da Lista de Espécies Ameaçadas americana no tribunal distrital do Montana. O processo tem como objectivo restaurar as protecções da Acta das Espécies Ameaçadas ao lobo até que o seu efectivo se fortaleça, corredores migratórios estejam protegidos e os estados desenvolvam leis e regulamentos adequados para a protecção das espécies de lobo da extinção. 

 

 

Saber mais:

Regra americana da distribuição geográfica ameaça espécies

Parque eólico do Douro Sul ameaça lobo-ibérico alerta a Quercus

Matar lobos pelo gozo

 

 

Twitter simbiotica.orgFacebook simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.orgClique para deixar de subscrever esta newsletter

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2010


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com