2010-03-22

Subject: A água e a sua importância

 

A água e a sua importância

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

@ CiênciaHoje Na data que se comemora a importância dos recursos hídricos para saúde do planeta e do ser humano, propomos uma visita ao Pavilhão da Água, no Parque da Cidade, no Porto. 

Filipa Fernandes, responsável por este equipamento gerido pela Fundação Ciência e Desenvolvimento e propriedade da Câmara Municipal do Porto, guia-nos numa visita pelos espaços e pelas experiências que se podem encontrar no local.

Concebido para despertar as consciências dos mais novos, e não só, para a preservação da água, o equipamento, concebido pelos arquitectos Alexandre Burmester e José Carlos Gonçalves, é multidisciplinar, englobando engenharia, física, química, biologia, o ambiente ou a música.

“O Pavilhão da Água foi pensado para a Expo 98, que se realizou em Lisboa, e para funcionar apenas durante seis meses, explica Filipa Fernandes”. No entanto, a detentora do Pavilhão, a Unicer, doou à autarquia do Porto este equipamento.

Depois de quatro anos sem encontrar destino, em 2002, é montado no Parque da Cidade. Desde aí sofreu apenas algumas alterações. Completamente adaptado às funções pedagógicas, recebe por ano 30 mil pessoas, principalmente alunos dos vários níveis de ensino.

Filipa Fernandes, formada em engenharia ambiental, e responsável pelo espaço nos primeiros dois anos de funcionamento e nos últimos três, explica que foi necessário conceber um laboratório, em colaboração com o ICBAS (Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar) onde fosse possível realizar oficinas que unem as vertentes lúdica e científica. Neste espaço, as experiências são adaptadas às diversas faixas etárias que o visitam.

 

Mesmo antes de se chegar ao laboratório, é possível assistir ao filme «Água para a Vida» com o cientista Adriano Bordalo e Sá. Aqui, ficam a conhecer as principais problemáticas relacionadas com a água, principalmente a falta de acesso a água potável em muitos países.

“As crianças ficam muito sensibilizadas depois de verem o filme pois apercebem-se que existem muitas pessoas que têm de percorrer distâncias enormes para encontrarem água”, explica Filipa Fernandes.

Antes de se subir para as experiências mais divertidas do espaço, os visitantes podem, desde logo, perceber a transformação do movimento da água em energia com um gigantesco «água mobile» que trabalha com várias facetas das potencialidades da água: uma bomba de botas de borracha, uma coluna de pressão de água e uma central hidroeléctrica.

Os mecanismos são movidos a água e fazem um peixe gigante mover-se até mostrar olhos vermelhos e uma caravela portuguesa no ventre.

No andar de cima existem os mais variados jogos que exploram as propriedades da água, as suas inúmeras possibilidades de utilização e fenómenos naturais. É possível ficar a conhecer como funcionam os ciclones e os furacões, por que se vê o arco-íris, e mesmo fazer música com garrafas de água.

No Dia Mundial da Água o pavilhão vai fazer o que faz melhor, sensibilização para hábitos de poupança de água e consciência ambiental.

 

 

Saber mais:

PAVILHÃO DA ÁGUA

 

 

Twitter simbiotica.orgFacebook simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.orgClique para deixar de subscrever esta newsletter

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2010


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com