2004-04-08

Subject: Humanos deviam "falar" como os chimpanzés

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Humanos deviam "falar" como os chimpanzés

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

Se os humanos se comportassem mais como os seus primos chimpanzés, poderiam ser bem melhor a comunicar, segundo os especialistas. 

Cientistas da Zoological Society of London estão à procura de voluntários para "falarem à chimpanzé" na sua vida diária, no trabalho e em casa, de forma a testarem a sua teoria. 

O estudo recomenda que se agite os braços, branda objectos e se dê a aparência de ser maior do que realmente se é, de forma a manter a autoridade sobre os outros. Os voluntários também podem estabelecer laços com o seu grupo através de sessões de limpeza e catar mútuo. 

Os chimpanzés são os nossos parentes vivos mais próximos e partilham uma variedade de características connosco, não apenas geneticamente mas também de expressão e comportamento. 

Os peritos em comportamento animal querem ver de que forma o "padrão primata" pode resolver conflitos no trabalho, expressar emoções e fortalecer os laços entre pessoas. 

Os voluntários deverão substituir as suas reacções humanas tradicionais com atitudes de chimpanzé, relatando de que forma estas funcionaram. 

Em vez de reclamar acerca do patrão atrás das suas costas, tente mostrar o seu medo mostrando os dentes e através de linguagem corporal submissa, como baixar a cabeça e acocorar-se. O "olá" de cumprimento aos amigos deverá ser substituído por um braço estendido e arfares roucos. 

 

O psicólogo organizacional professor Cary Cooper diz que todos os que estiverem dispostos a tentar, poderão aprender muito com os nossos primos. O que mais gosto neste conceito é que as pessoas não comunicam o suficiente umas com as outras. O que comunicam são palavras, não sentimentos, pelo que este tipo de actuação lhes permitiria um contacto com as suas emoções. 

O professor considera que uma hierarquia semelhante à que existe no reino animal já existe no local de trabalho, ainda que nem sempre seja reconhecida. Não deveríamos ser agressivos para com essa autoridade, como os animais são, mas devemos expressar os nossos sentimentos. 

Os animais são tácteis e dão mais apoio uns aos outros, como uma verdadeira comunidade. Infelizmente, o local de trabalho é cada vez menos visto dessa forma, hoje em dia. 

O estudo, lançado na 4ª feira, coincide com a inauguração das novas instalações para chimpanzés no Whipsnade Wild Animal Park. O estudo também tem como objectivo ajudar os tratadores a comunicar melhor com os chimpanzés, bem como compreender melhor a comunicação humana. 

Esperam-se, pelo menos, 100 voluntários para o estudo, que pode ser consultado no site da organização (ver "saber mais"). Os resultados serão analisados e incluídos num relatório a publicar mais para o fim do ano. 

 

 

Saber mais:

Zoological Society of London

Genoma mostra as diferenças entre Homem e chimpanzé

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com