2010-02-14

Subject: Ancestralidade dos tigres revelada

 

Ancestralidade dos tigres revelada

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

Tigre @ BBC

O tigre pode ser uma espécie bem mais antiga e distinta do que até aqui se pensava: estes felinos estão menos fortemente aparentados com os leões, leopardos e jaguares do que estes outros grandes felinos são uns com os outros, revela um novo estudo agora conhecido, no dia em que se comemora o início do Ano Chinês do Tigre.

A análise genética também revela que o tigre começou a evoluir há 3,2 milhões de anos e o seu parente vivo mais próximo é o igualmente criticamente ameaçado de extinção leopardo das neves.

Apesar da sua popularidade e do estatuto de espécie ameaçada de extinção, os tigres continuam pouco conhecidos, incluindo a forma como evoluíram como grupo distinto.

Há muito que se sabe que as cinco espécies de grandes felinos (o tigre, o leão, o leopardo, o jaguar e o leopardo das neves), todas pertencentes ao género Panthera, e as duas espécies de leopardos nas nuvens, são mais fortemente aparentadas umas com as outras do que com outras espécies de felinos de menor dimensão mas tem sido difícil identificar as relações exactas entre eles.

Por esse motivo, para descobrir mais os investigadores Brian Davis, Gang Li e William Murphy conduziram uma análise do DNA de todas estas espécies.

Ao analisar as semelhanças entre o DNA mitocondrial e dos cromossomas sexuais, entre outros locais, entre as várias espécies, os investigadores descobriram que as cinco espécies de grandes felinos estão relacionadas umas com as outras de uma forma muito diferente da que antes se assumia.

Os dados sugerem fortemente que os leões, leopardos e jaguares são as espécies mais fortemente aparentadas umas com as outras. A sua divergência ancestral dos restantes grandes felinos ocorreu há cerca de 4,3 a 3,8 milhões de anos.

 

Há cerca de 3,6 a 2,5 milhões de anos, o jaguar começou a sua evolução, enquanto os leões e os leopardos começaram a sua divergência um do outro há cerca de 3,1 a 1,95 milhões de anos mas o tigre já tinha emergido por essa altura.

Os ancestrais dos tigres e dos leopardos das neves também divergiram há cerca de 3,9 milhões de anos. Seguidamente, o tigre começou a sua evolução como espécie individualizada ao caminhar-se para o final do Plioceno, há cerca de 3,2 milhões de anos, o que torna o tigre e os leopardos das neves "espécies irmãs", relatam os investigadores no seu artigo publicado na revista Molecular Phylogenetics and Evolution.

Tanto os tigres como os leopardos das neves estão entre as espécies mais ameaçadas de extinção entre os grandes felinos, restando menos de 3500 de tigres a viver na natureza.

Uma das subespécies de tigre, o tigre de Sumatra, é tão enigmática que a primeira filmagem de um indivíduo selvagem apenas foi feita este ano e a Indonésia está a colocar a hipótese de os confiar a privados para o salvaguardar.

Ainda no ano passado, um estudo revelou que a maior das subespécies, o tigre de Amur, pode estar no limiar genético da extinção, devido ao muito reduzido número de animais que restam na natureza. 

 

 

Saber mais:

Tigres e outros animais de criação

Comércio de pele de tigre na China exposto

Parque de tigres sem tigres

Tigres de Amur no limiar genético da extinção

 

 

Twitter simbiotica.orgFacebook simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.orgClique para deixar de subscrever esta newsletter

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2010


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com