2010-02-02

Subject: Tigres e outros animais de criação

 

Tigres e outros animais de criação

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

@ BBC

Por cada tigre selvagem vivo no mundo actualmente, devem existir três tigres criados em quintas na China. Os felinos são criados pela sua pele mas também pelos ossos, usados em infusões de vinho muito apreciadas no sudeste asiático.

Alguns dos que vivem na região acreditam que o consumo de certas partes das carcaças de tigre lhes fornece força e virilidade.

A China proibiu o comércio de ossos e outros produtos de tigre em 1993 mas isso não impediu a sua prática, que está novamente na agenda da conferência internacional de conservação de tigres que decorreu na Tailândia.

Segundo o Banco Mundial, que chefia a Iniciativa Global Tigre (GTI), o comércio está a ser incentivado por quintas privadas de criação de tigres localizadas em muitos países asiáticos. A organização internacional já apelou, por isso, ao encerramento destas quintas.

Os tigres destas quintas são mantidos em jaulas e perseguem e matam vacas e galinhas para entretenimento de público pagante.

"A nossa posição é que as quintas de tigres são cruéis", comentou Keshav Varma, director do programa GTI para o Banco Mundial, durante a conferência de Hua Hin sobre conservação de tigres. "Elas estimulam e alargam o potencial uso de partes de carcaças de tigre."

Para ter uma ideia do que realmente se passa nestas quintas, que são frequentemente apresentadas como parques turísticos, a BBC entrevistou Judy Mills, da Conservation International, que visitou algumas delas.

A totalidade da população sobrevivente de tigres selvagens está algures entre os 3600 e os 3200 animais, acreditam os conservacionistas. Na China há agora perto de 10 mil tigres em quintas de criação, diz Mills, ainda que outras estimativas sugiram que o número poderá ser de 5 mil animais. "Estas quintas são fábricas reprodutoras em série."

Segundo as suas pesquisas, os tigres fêmea produzem crias a uma taxa cerca de três vezes superior à natural, criando até três ninhadas por ano. As crias são frequentemente levadas para longe das mães antes de estarem adequadamente desmamadas.

 

Estas crias, diz ela, são geralmente levadas a mamar noutros animais, como porcas ou cadelas, que se tornam as suas amas de leite substitutas, para que as fêmeas suas mães possam produzir mais crias.

"A parte das quintas de criação que as pessoas raramente visitam é uma adega em que os esqueletos de tigres adultos são limpos e colocados em recipientes com vinho", diz Mills. Os ossos são destilados durante anos, explica ela, e a duração da infusão determina o valor do vinho.

A Conservation International refere que é muito difícil clarificar o estatuto legal destas quintas de criação de tigres na China.

"Quando visitei uma quinta de criação de tigres pela primeira vez em 1990, fazia parte de uma quinta de produção de peles que criava guaxinins, cães, visões e outros animais cuja pele é usada comercialmente", diz Mills. "O dono da quinta estava a mostrar-me o registo de encomendas de peles, ossos e outras partes das carcaças de tigre."

"Depois, em 1993, devido às pressões internacionais, a China proibiu o comércio de ossos e outras partes da carcaça dos tigres mas, ao mesmo tempo, permitiu que estas quintas de criação de tigres se expandissem. É algo que a comunidade da conservação tem estado a tentar esclarecer com o governo chinês desde então."

No ano passado, a Administração das Florestas Chinesa prometeu seguir os criadores de tigres com mais cuidado, bem como desmantelar o comércio ilegal de produtos e partes da carcaça dos tigres.

Os receios dos conservacionistas são que, com o início do Ano do Tigre a 14 de Fevereiro, a procura e o mercado para esse tipo de artigo se torne mais forte que nunca. 

 

 

Saber mais:

Conservation International

GTI

AMC

WWF

Comércio de pele de tigre na China exposto

Mercado negro de tigres associado a templo tailandês

Será este o fim da fábula do tigre chinês?

 

 

Twitter simbiotica.orgFacebook simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.orgClique para deixar de subscrever esta newsletter

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2010


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com