2004-04-05

Subject: O tamanho é mesmo importante!!

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

O tamanho é mesmo importante!!

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

Um estudo de animais de todo o mundo veio confirmar o que os homens desde há muito vinham suspeitando: um pénis grande pode ser a receita para o sucesso no jogo do acasalamento. 

O valor de um órgão copulatório impressionante depende, no entanto, do terreno. Os animais das latitudes mais elevadas tendem a beneficiar mais de serem bem fornecidos do que as espécies de climas mais hospitaleiros, segundo Steven Ferguson do Freshwater Institute no Canadá, e Serge Larivière da Delta Waterfowl Foundation, também no Canadá. 

Os investigadores recolheram dados sobre o tamanho do osso do pénis, designado baculum, em 122 mamíferos carnívoros de várias partes do mundo que o apresentam. Tentaram perceber se o tamanho do osso do pénis poderia, de alguma forma, ser relacionado com factores como a temperatura do ambiente em que o animal vive ou a sua latitude. 

Os que vivem nas latitudes polares apresentam um baculum mais comprido em relação ao tamanho do corpo do que os seus colegas dos trópicos, revelaram os investigadores. Este facto deve-se, provavelmente, às diferentes estratégias reprodutoras usadas em diferentes climas. 

Animais como as focas elefante Mirounga, por exemplo, que vivem em zonas mais agradáveis das latitudes mais baixas, tendem a viver em vastas colónias. Os machos lutam entre si pelo acesso às fêmeas, ficando os vencedores com todo o harém. Este tipo de comportamento de acasalamento pode levar à selecção de características como o tamanho elevado do corpo, que ajuda os machos a vencer as lutas físicas. Estas focas podem pesar até 2300 Kg, mas têm baculuns relativamente pequenos, quando comparadas com outros do seu tamanho. 

Já as morsas Odobenus, por sua vez, que vivem nas águas geladas do Árctico, pesam menos (cerca de 1700 Kg) mas têm um baculum que pode alcançar até 60 cm de comprimento, um dos maiores pénis de mamífero, seja em termos relativos como absolutos. 

 

A paisagem hostil do Árctico apenas consegue manter poucos indivíduos, pelo que as morsas têm pouco contacto umas com as outras. Assim, isto significa que os encontros sexuais são poucos e distanciados, e os machos não lutam entre si directamente. Os machos que tenham uma maior possibilidade de inseminar as suas parceiras podem vencer a corrida evolutiva, diz Ferguson. neste caso, segundo ele, deverá ser um pénis maior. 

Ossos do pénis maiores podem assegurar que o esperma do macho é inserido mais próximo do óvulo, explica Ferguson, pelo que um macho bem endossado tem mais probabilidades de ser pai. O que conta é qual o esperma que atinge o óvulo, diz Matthew Gage da University of East Anglia, perito na competição sexual. 

Outros investigadores já propuseram explicações alternativas para a diferença de tamanho do baculum entre dois animais. Alguns dizem que um pénis menor pode reduzir o risco de fractura do baculum, por exemplo. As focas elefante acasalam em terra, enquanto as morsas acasalam na água, o que reduz esse risco. 

No entanto, a fractura pode ocorrer na água também, diz Ferguson. Ele pensa que as diferenças de comportamento devido à latitude são uma explicação mais provável da diferença de tamanho do pénis. 

 

 

Saber mais:

Love is a battlefield

Birds feel the rub

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com