2009-12-28

Subject: Mamíferos podem estar a meio caminho de uma extinção em massa

 

Mamíferos podem estar a meio caminho de uma extinção em massa

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

A combinação do Aquecimento Global com a degradação ambiental está a conduzir a fauna de mamíferos dos Estados Unidos a uma extinção em massa semelhante às cinco grandes extinções da história, a última das quais conduziu à extinção dos dinossáurios.

Um grupo de investigadores da Universidades de Berkeley e Penn State, nos EUA, levou a cabo uma análise dos padrões de extinção dos mamíferos em território norte-americano desde há 30 milhões de anos.

Os resultados mostram que o período com grande número de extinções concentrou-se entre 1000 e 2000 anos após a chegada dos humanos à América, há cerca de 13 000 anos atrás.

As extinções estabilizaram depois disso. No entanto nos últimos 100 anos “aconteceram muitas reduções das áreas de distribuição com uma magnitude maior do que seria de prever, e temos observado a perda de subespécies e até de algumas espécies. Por isso, parece que estamos a aproximar-nos de outro destes fenómenos de extinção em massa”. Com efeito, já desapareceu entre 15 e 42% da diversidade.

Aparentemente, a mamofauna americana resistiu muito bem às grandes alterações da paisagem como a formação das Montanhas Rochosas e da Serra Nevada no Oeste associadas a grandes variações climáticas semelhantes às que se observam na actualidade. Na altura, não se observaram perdas da diversidade tão grandes quanto as que ocorreram no fim do período glacial, quando o gelo se retrocedeu e os humanos chegaram à América vindos da Ásia.

Assim, parece que a combinação da chegada dos humanos e das alterações climáticas foi o que esteve na origem da precipitação das extinções há 13000 anos.

E Anthony Barnosky, co-autor do estudo acrescenta “E agora aqui estamos nós, a aumentar de forma astronómica o número de humanos na Terra, a que acrescem alterações climáticas fora do normal. Parece que é uma receita para a extinção que já vimos no passado e que estamos a ver novamente”.

 

Os investigadores acreditam que se um estudo semelhante fosse levado a cabo na Europa os resultados seriam semelhantes, com a concentração das extinções a ocorrer há 40 0000 anos quando chegaram os primeiros humanos vindos de África, seguido depois de um período de estabilização até recentemente. 

Por outro lado, poderiam ser procurados os mesmos padrões na história de outros grupos faunísticos terrestres, como os répteis ou as aves. No entanto, segundo Marc Carrasco, poucos grupos de plantas ou animais têm um registo fóssil tão completo como os mamíferos.

Os resultados da investigação foram publicados recentemente na revista online de acesso livre PLoS One e segundo Marc Carrasco “Um dos seus pontos fortes é que fornece uma linha de base para avaliar não só o passado, mas também o futuro”.

 

 

Saber mais:

Ameaça de extinção de espécies aumenta

Exposta escala da caça furtiva aos gorilas

Extinção atinge famílias inteiras

Mundo continua a perder biodiversidade

Comércio de animais de estimação ameaça orangotangos

 

 

Twitter simbiotica.orgFacebook simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.orgClique para deixar de subscrever esta newsletter

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2009


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com