2009-11-28

Subject: Revelado segredo da forma dos tubarões-martelo

 

Revelado segredo da forma dos tubarões-martelo

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

Scalloped hammerhead shark

Por que motivo os tubarões-martelo apresentam a sua famosa cabeça? Uma hipótese é que ter os olhos nas extremidades de um 'martelo' tão largo lhes permite ver melhor mas mesmo esta ideia divide a comunidade científica, com investigadores a debater se este design corporal realmente permite ver melhor ou pior.

O mistério pode agora ser resolvido através de um estudo que mostra que a cabeça em forma de martelo dá aos tubarões excepcional visão binocular e a capacidade de ver em 360º.

A descoberta foi publicada na última edição da revista Journal of Experimental Biology.

O debate sobre o motivo porque os tubarões-martelo têm a bizarra forma que têm data de há séculos e as discussões sobre a sua capacidade visual de há décadas, diz Michelle McComb, da Universidade Atlântica da Florida em Boca Raton.

Por exemplo, em 1948 o zoólogo Gordon Walls, autoridade em evolução ocular de vertebrados, sugeriu que a posição do olho dos tubarões-martelo impedia que tivessem visão binocular. No entanto, em 1984 o perito em tubarões Leonard Campagno contrapôs essa ideia sugerindo que a distância entre os olhos do tubarão-martelo na realidade lhes proporcionaria excelente visão binocular.

A visão binocular acontece quando os campos de visão dos dois olhos se sobrepõem, permitindo a percepção rigorosa da profundidade e distância. É especialmente importante para predadores que necessitam de julgar a distância a que estão da presa.

No entanto, apesar da sua aparente importância, "a visão frontal dos tubarões-martelo tem sido alvo de imensa especulação durante décadas mas nunca foi testada", diz McComb.

Por esse motivo, ela e os seus colegas de equipa Timothy Tricas, da Universidade do Havai em Manoa, e Stephen Kajiura, também da Universidade Atlântica da Florida, decidiram fazer isso mesmo. 

Colocaram uma variedade de espécies de tubarão, cada uma com diferente forma de cabeça, num aquário. Aplicaram-lhes na pele sensores de medição da actividade cerebral, testando especificamente se o animal reagiria a feixes de luz emitidos de diferentes localizações no tanque. Dessa forma, podiam medir o campo de visão de cada tubarão.

"Este estudo confirmou que os tubarões-martelo têm visão binocular anterior", diz McComb, que significa que podem ver directamente para a frente enquanto nadam e conseguem avaliar correctamente a distância, particularmente durante a caça.

 

Para além disso, os investigadores mostraram que o grau de sobreposição entre os dois olhos aumenta com a largura da cabeça.

Em tubarões com cabeça normal, como o tubarão-limão Negaprion brevirostris, o campo de visão de cada olho sobrepõe-se em apenas 10º mas no caso do tubarão-martelo-recortado Sphyrna lewini, que tem uma cabeça relativamente larga, os olhos sobrepõem-se 32º. 

No entanto, com a espécie Eusphyra blochii, que McComb descreve como 'um bumerangue com barbatanas' por a largura da sua cabeça ser quase metade do comprimento do corpo, a sobreposição atinge os 48º: "À medida que a cabeça dos tubarões-martelo se expandiu, o grau de sobreposição binocular também aumentou", explica McComb.

Os resultados surpreenderam os investigadores. "Eu acreditava que os tubarões-martelo não tivessem visão binocular porque os seus olhos estão virados para os lados da cabeça", admite McComb. "Mas afinal, parece que a posição dos olhos era a chave da questão."

Os olhos dos tubarões-martelo estão inclinados ligeiramente para a frente, diz ela, o que lhes permite sobrepor de forma significativa o campo de visão de cada olho.

"Este estudo confirmou que a visão pode ter desempenhado um papel na evolução de um dos animais mais bizarros dos oceanos", continua McComb. "Esta foi uma questão científica que tinha persistido desde que os tubarões-martelo foram descritos pela primeira vez há mais de 200 anos."

A forma dos tubarões-martelo também tem outros benefícios, descobriram os investigadores. Ao balançarem a sua cabeça para os lados à medida que nadam, os tubarões conseguem ver praticamente tudo o que está para trás.

Mais extraordinário é que a posição dos olhos permite aos tubarões ver os 360º no plano vertical, o que significa que os animais conseguem ver permanentemente acima e abaixo da sua posição.

Para além de melhorar a sua capacidade de capturar as presas, "esta capacidade pode ser benéfica para os tubarões mais pequenos que são potenciais presas dos tubarões maiores", diz McComb.

 

 

Saber mais:

Elasmobranch Research Laboratory

Raro tubarão encontrado e devorado nas Filipinas

Tubarão branco filmado a caçar à noite

Tubarões nadam cada vez mais perto da extinção

 

 

 

Twitter simbiotica.orgFacebook simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.org

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2009


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com