2009-11-25

Subject: Nuvens de tempestade pairam sobre fuga de e-mails

 

Nuvens de tempestade pairam sobre fuga de e-mails

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

A publicação online de e-mails e outros documentos sensíveis roubados de um centro de investigação climática inglês está a tornar-se rapidamente a controvérsia científica do ano, causando desalento entre os institutos e pessoas envolvidos.

O tom e conteúdo de alguma da correspondência revelada está a levantar preocupação de que a fuga seja danosa para a credibilidade da ciência climática na véspera da cimeira climática das Nações Unidas que decorrerá em Copenhaga em Dezembro.

A Unidade de Investigação Climática (CRU) da Universidade de East Anglia (UEA) em Norwich confirmou a 20 de Novembro que mais de mil e-mails e documentos tinham sido retirados dos seus servidores mas ainda não confirmou quanto do material publicado é genuíno. "Esta informação foi obtida e publicado sem a nossa permissão", diz Simon Dunford, porta-voz da UEA, acrescentando que a universidade vai realizar uma investigação e já apresentou queixa à polícia.

Muitos dos cientistas contactados por meios de comunicação como a Nature duvidam que a fuga tenha um impacto duradouro mas os blogs dos cépticos climáticos e os meios de comunicação social não científicos têm aproveitado bem o material revelado e discutido o seu conteúdo.

A maior parte desse material consiste em trocas rotineiras de e-mails entre investigadores mas um deles em particular, enviado pelo director do CRU Phil Jones, tem estado na berlinda pela utilização do termo "truque" numa discussão acerca da apresentação dos dados climáticos. 

Num comunicado, Jones confirmou que o e-mail era genuíno e comentou: "O termo "truque" foi usado coloquialmente, com o sentido de algo inteligente a fazer. É ridículo sugerir que se refere a qualquer coisa menos própria."

"Se alguém pensa que há a mais ínfima parte de manipulação dos dados para fins não científicos, estão à vontade para fazer uma análise completa que revele que a Terra não está a aquecer", acrescenta Michael Oppenheimer, cientista climático e investigador de política na Universidade de Princeton em Nova Jérsia. "De facto, há décadas que estão à vontade para o fazer e até agora ainda não foram capazes."

"Aparentemente há muitas pessoas que realmente pensam que o aquecimento global é uma conspiração maligna dos comunistas e que muitos cientistas fazem parte da conspiração e deliberadamente aldrabam os seus resultados científicos", acrescenta Tom Wigley, investigador sénior no Centro Nacional de Investigação Atmosférica de Boulder, Colorado, e antigo director do CRU.

Alegados e-mails contendo apartes críticos acerca de outros cientistas climáticos são apenas a prova do vívido debate que existe na comunidade, acrescenta Gavin Schmidt, investigador climático no Instituto Goddard de Estudos Espaciais da NASA em Nova Iorque.

 

O título do ficheiro carregado contendo os e-mails roubados, 'FOIA.zip', levou a especulação sobre a possibilidade de a questão estar associada ao dilúvio de pedidos de dados em bruto sobre alterações climáticas feitos a Jones, sob a alçada da lei inglesa da liberdade de acesso à informação. A fonte de muitos desses pedidos é Steve McIntyre, editor de Climate Audit, um blog que investiga os métodos estatísticos usados em ciência climática. "Eu não tenho qualquer tipo de informação sobre quem foi responsável por isto", disse McIntyre quando questionado sobre o tema.

Ainda assim, os e-mails alegadamente enviados por Jones parecem ilustrar a sua relutância em aceder a estes pedidos. "Todos os cientistas têm o direito de pedir os nossos dados e tentar falsificar os nossos resultados", diz Hans von Storch, director do Instituto de Investigação da Costa em Geesthacht, Alemanha. "Respeito muito Jones como cientista mas ele deve tomar consciência de que o seu comportamento está a começar a ser danoso para a nossa disciplina."

Num comunicado, a UEA refere: "Os dados climáticos em bruto que foram requisitados pertencem aos serviços meteorológicos de todo o mundo e existem restrições que nos impedem de os fornecer. Estamos a pedir a cada serviço a sua autorização para que os dados sejam publicados no futuro."

No entanto, von Storch acredita que, pelo menos até este assunto estar resolvido, Jones devia deixar de rever a ciência climática para o Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas. 

 

 

Saber mais:

Climatic Research Unit

Modelo climático estabelece metas ambiciosas

O fim do caminho para Copenhaga?

Mensagem assustadora do passado sobre alterações climáticas

 

 

 

Twitter simbiotica.orgFacebook simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.org

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2009


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com