2004-03-30

Subject: Cobras ajudam na lavandaria

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Cobras ajudam na lavandaria

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

Os químicos descobriram por acaso uma bizarra fonte de detergente: veneno de cobras venenosas. 

Enzimas encontradas na saliva da víbora cottonmouth da Flórida Agkistrodon piscivorus conanti retira manchas de sangue da roupa, revelaram os investigadores num encontro da American Chemical Society. 

Devin Iimoto, bioquímico do Whittier College na Califórnia, interessou-se pelas cobras na sua busca de novas formas de controlar ataques do coração e tromboses. O veneno das cobras contém compostos impedem a coagulação sanguínea, de que a cobra tira partido ao atacar as presas. Os mesmos compostos podem ser usados em novas drogas para destruir coágulos no corpo humano. 

No entanto, ocorreu a Iimoto que estas mesmas propriedades poderiam ser úteis noutros locais, nomeadamente no sabão. Outros investigadores brincaram com esta ideia, explica Iimoto, mas ele sempre esperou ter melhores resultados com outro tipo de enzimas. 

Felizmente para os estudantes de Iimoto, não tiveram que retirar o veneno das cobras venenosas eles próprios. Este procedimento é normalmente realizado forçando a cobra a morder através de um filme de látex esticado sobre a boca de um recipiente. A víbora cottonmouth pode ser adquirida comercialmente pois é usada para o fabrico de antídotos. 

A equipa isolou um ingrediente activo, mas não tóxico, do veneno e aplicou-o a tecido branco manchado com sangue seco. a enzima retirou algum, mas não todo o sangue. 

 

Os detergentes geralmente contêm enzimas que ajudam a retirar sangue da roupa, na sua maioria retirada de bactérias. Em teoria, qualquer animal que injecte veneno ou sugue sangue pode ser usado como fonte de enzimas anti-coagulação, diz Iimoto, incluindo as sanguessugas, aranhas e carraças. 

Iimoto diz que a sua enzima do veneno funciona quebrando a massa de moléculas proteicas de fibrina que formam a crosta sobre uma ferida. O produto da cobra, se misturado com outras enzimas, pode ser capaz de remover totalmente as nódoas de sangue. 

No entanto, outras barreiras têm que se ultrapassadas antes de o produto poder ser vendido nos supermercados, nomeadamente o intervalo muito reduzido de temperaturas em que estas enzimas funcionam. Iimoto e colegas planeia testar a eficácia da enzima tanto em água quente, como fria. 

Também há o problema da imagem pública do produto: posso já imaginar as pessoas a torcer o nariz a algo feito com veneno de cobra, diz Iimoto.

 

 

Saber mais:

Visualizing venom

Dirt- the secret of a good wash

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com