2009-11-09

Subject: Ameaça de extinção de espécies aumenta

 

Ameaça de extinção de espécies aumenta

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

@ IUCN/Tim HermanMais de um terço das espécies avaliadas num importante estudo internacional sobre biodiversidade estão ameaçadas de extinção, alertam os cientistas.

Das 47677 espécies presentes na Lista Vermelha das espécies ameaçadas da IUCN, 17291 foram consideradas em grave risco.

Este número inclui 21% de todos os mamíferos conhecidos da ciência, 30% dos anfíbios, 70% das plantas e 35% dos invertebrados. Por esse motivo, os conservacionistas alertam para o facto de não se estar a fazer o suficiente para atacar as principais causas de extinção, nomeadamente a perda de habitat.

"As evidências científicas de uma grave crise de extinção estão a somar-se cada vez mais", alerta Jane Smart, directora do Grupo de Conservação da Biodiversidade da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN).

"As últimas análises ... mostram que a meta de 2010 para reduzir a perda de biodiversidade não vai ser alcançada", acrescenta ela. "É tempo de os governos começarem a agir seriamente para salvar as espécies e terem a certeza de que é uma prioridade nas suas agendas para o próximo ano, pois estamos rapidamente a ficar sem tempo."

A Lista Vermelha, considerada a avaliação mais autoritária do estado das espécies do planeta, resulta do trabalho de milhares de cientistas de por todo o mundo.

infographic (BBC)

Na sua última actualização, a Lista Vermelha menciona os anfíbios como sendo o grupo mais seriamente afectado no planeta, com 1895 das suas 6285 espécies conhecidas listadas como ameaçadas. Dessas, lista 39 espécies como "extintas" ou "extintas na natureza", outras 484 como "criticamente ameaçadas", 754 "ameaçadas" e 657 como "vulneráveis".

 

O sapo Kihansi Nectophyrnoides asperginis (representado na fotografia) é uma das espécies cujo estatuto foi alterado de criticamente ameaçado para extinto na natureza. Na natureza, era encontrado apenas na zona das cataratas Kihamsi da Tanzânia mas a sua população entrou em colapso nos últimos anos, de um máximo de 17 mil indivíduos estimados.

Os conservacionistas sugeriram que o seu rápido declínio foi primariamente o resultado da construção de uma barragem a montante do habitat dos sapos, o que resultou numa redução de 90% do fluxo de água.

"No nosso tempo de vida, passámos de ter que nos preocupar com o relativamente pequeno número de espécies altamente ameaçadas para o colapso de ecossistemas inteiros", observa Jonathan Baillie, director dos programas de conservação da Zoological Society de Londres (ZSL). "Em que momento irá a sociedade responder realmente a esta crise crescente?"

Os dados actualizados da Lista Vermelha de 2009 estão disponíveis para o público no website da IUCN. 

 

 

Saber mais:

Lista Vermelha de espécies ameaçadas

IUCN

Regra americana da distribuição geográfica ameaça espécies

Doença fúngica dos anfíbios compreendida

Como as cidades extinguem plantas

Extinção atinge famílias inteiras

Mundo continua a perder biodiversidade

 

 

Twitter simbiotica.orgFacebook simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.org

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2009


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com