2009-11-08

Subject: Ursos-espírito ficam invisíveis

 

Ursos-espírito ficam invisíveis

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

Spirit bear

Em algumas ilhas do oeste canadiano, ursos negros de cor branca, apelidados pelos locais de 'ursos-espírito' caminham pela floresta e agora os cientistas descobriram porque estes espantosos animais sobrevivem. Os ursos brancos são menos visíveis para os peixes que os seus irmãos negros, o que os torna 30% mais eficientes na captura do salmão nos rios das ilhas.

Noutros locais, ursos brancos semelhantes são muito raros, provavelmente porque se tornam mais vulneráveis aos predadores, como os ursos pardos ou os lobos. Os investigadores publicaram as suas descobertas na última edição da revista Biological Journal of the Linnean Society.

A maioria dos ursos negros Ursus americanus América do Norte têm uma pelagem uniformemente negra, que lhes fornece camuflagem nos habitats florestais onde a maioria vive. No entanto, os ursos-espírito, também conhecidos por ursos kermode Ursus americanus kermodei, são uma variante de urso negro com pelagem branca.

A pelagem branca resulta da expressão de um alelo recessivo que permanece no fundo genético da população de ursos da mesma forma que o alelo que origina o ruivo no cabelo humano.

Esta variante de ursos brancos tem uma distribuição geográfica muito restrita, ocorrendo principalmente nas ilhas Gribbell e Princess Royal ao largo da costa ocidental do Canadá, 500 km a norte de Vancouver. "O urso espírito é algo totalmente estranho", diz Thomas Reimchen, da Universidade de Victoria na Colúmbia Britânica.

Os ursos negros brancos raramente aparecem na população geral, mas "aqui nestas duas ilhas repentinamente temos 20 a 30% dos ursos a terem pelagem branca", diz Reimchen, que estudou os animais em conjunto com Dan Klinka.

Em vez de tornar os ursos conspícuos, a cor branca faz os ursos desaparecerem, descobriram os investigadores. Todos os Outonos, o salmão invade os rios das ilhas, na sua migração para as zonas de desova. Durante a noite, os ursos negros e brancos têm taxas de sucesso semelhantes na captura de salmão mas não durante o dia.

"De dia o urso branco tem 30% mais eficácia que o negro na captura do salmão", diz Reimchen. Os dois investigadores fizeram a descoberta ao observar as técnicas de caça dos dois tipos de ursos negros selvagens.

Eles também fizeram experiências sobre a reacção dos salmões. Cobriram-se com fatos brancos e negros e confirmaram que o salmão faz menos esforço para escapar a objectos brancos que a negros. 

 

"Não esperávamos resultados tão claros no nosso trabalho experimental", diz Reimchen. "Os salmões tinham o dobro da probabilidade de voltar a uma zona quando tínhamos o fato branco do que quando tínhamos o fato negro."

Os cientistas acreditam que a cor mais clara dos ursos brancos os torna menos visíveis durante o dia para os salmões e os predadores escuros são melhor detectados contra o fundo brilhante da superfície da água.

Essa capacidade extra de caça dá aos ursos brancos uma nítida vantagem, pois a proteína do salmão ajuda-os a engordar melhor para o Inverno e a procriar mais. Mas se a pelagem branca é tão boa, porque não há mais ursos brancos entre as populações de ursos negros doutros locais?

Os investigadores suspeitam que a pelagem torna os ursos brancos mais vulneráveis a predadores, que não existem nas ilhas Gribbell e Princess Royal. "Provavelmente uma das razões porque não são comuns no continente é o urso pardo e o lobo, que atacam e matam os ursos negros", diz Reimchen. "O urso branco fica em desvantagem devido à sua visibilidade."

Também pode ser que a mutação genética que causa a pelagem branca seja exclusiva destas ilhas e persista apenas porque as populações estão isoladas.

A primeira nação Tsimshian tem uma lenda que considera que o urso é uma relíquia da era glacial, à qual estaria bem adaptado. Essa situação é consistente com investigações recentes que sugerem que os ursos costeiros sobreviveram ao longo dos períodos glaciares.

Ainda assim, o futuro do urso-espírito não está garantido. Análise isotópica da pelagem do urso revela que a sua dieta é muito mais dependente do salmão que a dos seus irmãos negros e a pesca excessiva e destruição de habitat levaram a um declínio dramático do efectivo do salmão na costa ocidental da América do Norte nos últimos 100  anos.

"Eu tenho dúvidas sobre a sobrevivência do urso branco quando o seu salmão desaparecer e ele já praticamente desapareceu", diz Reimchen. "Estes ursos não têm a oportunidade de mudar para outro alimento."

 

 

Saber mais:

Urso polar cruzado com urso pardo igual a ... ?

Cria de urso polar apanha boleia às cavalitas

 

 

 

Twitter simbiotica.orgFacebook simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.org

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2009


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com