2009-11-03

Subject: Urso polar cruzado com urso pardo igual a ... ?

 

Urso polar cruzado com urso pardo igual a ... ?

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

Os cientistas podem agora responder a essa questão, no seguimento do primeiro estudo dos híbridos de ursos polares e pardos. Aparentemente apenas um urso híbrido foi observado na natureza, pelo que o estudo incidiu sobre dois ursos híbridos mantidos em cativeiro e que estão entre os 17 desses ursos que se conhecem.

Ainda que cada urso híbrido tenha herdado características de ambos os progenitores, algumas delas, como o pêlo parcialmente oco, parecem ser uma mistura de ambos.

"Híbridos de urso polar e urso pardo são muito raros na natureza. Apenas há um caso confirmado", diz Ute Magiera, coordenadora de conservação do jardim zoológico de Osnabruck, Alemanha. Esse urso híbrido foi abatido em Abril de 2006 por um caçador americano na ilha Banks, Território Noroeste, Canadá.

No entanto, um número reduzido de ursos híbridos existem em jardins zoológicos da Republica Checa, Israel, Rússia, Espanha, Polónia e Alemanha, em resultado de os ursos pardos, uma subespécie de urso castanho, e os ursos polares serem mantidos nas mesmas instalações.

No jardim zoológico de Osnabruck, por exemplo, ambas as espécies foram mantidas juntas desde 1980, não produzindo descendência mas em Janeiro de 2004, a fêmea de urso castanho deu à luz dois híbridos. "Ficámos surpreendidos com a descendência porque desde há 24 anos que não acontecia nada", diz Magiera. Logo após o nascimento, os híbridos foram movidos para outro jardim zoológico, impedindo-os de aprenderem qualquer tipo de comportamento com os progenitores.

Agora Magiera e Alexandra Preuß, da Universidade de Osnabruck e do Jardim Zoológico de Osnabruck, publicaram detalhes do híbrido na revista científica Der Zoologische Garten.

Fisicamente, os híbridos têm uma vasta gama de características: em termos de tamanho são intermédios entre os maiores ursos polares e os ligeiramente menores ursos pardos. Têm pescoço mais comprido que o urso polar típico as também têm omoplatas menores como os ursos castanhos.

O tamanho e forma da cabeça é intermédio e a causa é visível, como nos ursos polares. As patas também são uma mistura intrigante: As solas das patas dos híbridos estão parcialmente cobertas de pêlo, enquanto os ursos polares as têm completamente cobertas para isolar do gelo e dos ursos castanhos são nuas com dedos visíveis.

Mas o mais intrigante é a estrutura do pêlo.

 

Quando observado em corte transversal, a secção do pêlo do urso castanho é sólida ou com pequenas zonas ocas, dependendo do local no corpo onde o pêlo está. O pêlo do urso polar é quase completamente oco, com vastas zonas ocas ao centro. O centro do pêlo do híbrido é uma mistura das duas situações.

O pêlo nas patas do macho híbrido é sólido mas o pêlo escuro no seu dorso é oco, ainda que com regiões ocas menores que o encontrado nos ursos polares. O pêlo da fêmea contém uma série de regiões ocas.

Do ponto de vista governamental, os dois híbridos têm muito em comum com os ursos polares. Quando lhes são oferecidos brinquedos grandes, como rodas de tractor ou barris, ambos os híbridos usam as patas da frente para pisar o objecto, tal como fazem os ursos polares para quebrar o gelo e alcançar as tocas das focas.

Os híbridos também utilizam os dentes para sacudir sacos de juta, como fazem os ursos polares com as presas. os ursos castanhos não têm este comportamento quando lhes dão sacos de juta.

O híbrido macho foi esterilizado mas se a fêmea se mostrar fértil isso sugere que os ursos híbridos podem continuar a procriar na natureza nos locais onde o seu habitat se sobrepõe, diz Magiera.

Os ursos castanhos Ursus arctos e os ursos polares Ursus maritimus divergiram para espécies distintas há cerca de 200 a 300 mil anos. Geralmente os seus habitats actuais não se sobrepõem pois o urso castanho encontra-se em florestas do holárctico e tundra, enquanto os ursos polares frequentam o Árctico.

No entanto, em algumas regiões do árctico canadiano e siberiano os ursos castanhos aventuram-se para os bancos de gelo, o que potencialmente os coloca em contacto com os ursos polares. Alguns peritos dizem que o aquecimento global e a redução do gelo marinho levará a que os ursos polares passem mais tempo em terra.

Enquanto alguns pensam que as poucas populações de ursos polares podem regressar permanentemente ao seu habitat original no continente, outros dizem que as alterações climáticas estão a acontecer demasiado rápido para permitir que os ursos se adaptem. 

 

 

Saber mais:

Bear-hybrids- behaviour and phenotype- Der Zoologische Garten

University of Osnabruck

Alterações no Árctico podem ser irreversíveis

Pressões estão a encolher ursos polares

Devem ser os carnívoros a conduzir a conservação-

 

 

Twitter simbiotica.orgFacebook simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.org

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2009


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com