2009-10-09

Subject: Teoria da Selecção Sexual: polémica e revolucionária

 

Teoria da Selecção Sexual: polémica e revolucionária

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

No ano em que se comemoram os 200 anos do nascimento de Charles Darwin, o biólogo Paulo Gama Mota vai revelar no Museu da Ciência da Universidade de Coimbra no 15, às 15h00, os últimos avanços no estudo da selecção sexual. A Teoria da Selecção Sexual foi proposta pelo naturalista britânico em 1871, no livro «The Descent of Man, and Selection in Relation to Sex». 

Paulo Gama Mota vai também abordar na palestra «Selecção Sexual - A Importância do Sexo na Evolução» a sua história, que escandalizou a sociedade puritana da época. “A evolução é também uma guerra dos sexos e as disputas pela reprodução podem atingir níveis de complexidade e refinamento elevados”, explica o biólogo e Director do Museu da Ciência da Universidade de Coimbra. 

A Teoria da Selecção Sexual é definida pelo próprio Darwin como a “luta entre indivíduos de um sexo pela posse do outro sexo”. Paulo Mota dá exemplos: “Os machos de veado vermelho lutam violentamente pelas fêmeas. 

Noutros casos os machos exibem a sua beleza natural, com caudas grandes e vistosas, que atraem predadores, mas mantêm o seu sucesso por serem preferidos pelas fêmeas. Estas preferem os mais vistosos, ou os que melhor cantam”. 

“A Selecção Sexual aplica-se à evolução de ornamentações em animais. Essas, especialmente as caudas longas e as cores vistosas, diminuem a sobrevivência mas prevalecem. Isso, pensou Darwin, seria um paradoxo para a teoria de selecção natural [que defende a perpetuação das características que tornam os organismos mais aptos à sobrevivência] ”.

Face a esta aparente contradição, Darwin propôs um mecanismo especial para explicar a sua evolução: “As caudas longas podem evoluir se o custo de sobrevivência for compensado por um maior sucesso reprodutivo”. Os machos com caudas mais longas e cores mais vistosas seriam mais atraentes para as fêmeas e teriam, assim, mais descendentes. 

 

O cientista sublinha que a escolha das fêmeas continua a ser um “caso de estudo” e que “a guerra dos sexos não termina no acasalamento, porque há muitos comportamentos extra-par, mesmo em espécies monogâmicas há muita paternidade extra-par”. 

A teoria proposta por Darwin ficou esquecida durante 100 anos. Paulo Mota vai explicar porquê e também as suas características revolucionárias. A sua influência na investigação actual na área da biologia do comportamento será também abordada. «Darwin e a Evolução» 

Depois de um encontro com o biólogo Alexandre Quintanilha, a sessão com Paulo Mota é a penúltima do ciclo de palestras «Darwin e a Evolução», que desde o início do ano tem levado ao Museu da Ciência alguns dos nomes mais sonantes da investigação em Portugal. 

A última será dia 12 de Novembro com o biólogo Nuno Ferrand , do Departamento de Zoologia da Universidade do Porto, que vai apresentar a palestra «Darwin e os coelhos do Porto Santo».

 

 

Saber mais:

'Miolos de galinha' são atraentes para as fêmeas

Por quê que as girafas têm o pescoço comprido?

Promiscuidade feminina pode não beneficiar descendência

 

 

Facebook simbiotica.orgTwitter simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.org

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2009


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com