2004-03-25

Subject: Truque sonoro ajuda as baleias a pescar

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Truque sonoro ajuda as baleias a pescar

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

Os cientistas acreditam que resolveram um dos grandes mistérios da caça bem sucedida das baleias corcunda e as suas descobertas podem ajudar a combater o cancro no Homem. 

Desde há muito que se sabe que algumas espécies de baleia caçam criando uma coluna cilíndrica de bolhas que encurrala os peixes, mas até agora ninguém sabia o motivo porque os peixes ser recusavam a escapar da armadilha. 

No entanto, o professor Tim Leighton, do Instituto de Investigação do Som e da Vibração da Universidade de Southampton, diz que acredita que as baleias usam o som para assustar os peixes de forma a que não fujam. 

Se o som se está a propagar através da água, a entidade mais natural mais forte que pode encontrar é uma bolha de ar, explica. As bolhas abrandam o som, pois um feixe de som dirigido a bolhas de ar irá ser aprisionado, ressaltando ao longo da coluna de bolhas a uma velocidade de 1 Km/s. Assim, se os peixes tentam deixar a coluna de bolhas, vão encontrar uma barulhenta parede de som, conclui o professor Leighton. 

Quando as baleias corcundas caçam, cerca de 30 delas fazem um círculo em águas profundas, libertando bolhas de ar. À medida que as bolhas de ar sobem para a superfície, criam uma coluna circular, dentro da qual os peixes ficam agregados. As baleias corcundas, de seguida, sobem por baixo do cilindro e comem os peixes. 

O motivo porque os peixes não escapavam é que era um grande mistério, pois sabemos que os peixes nadam com facilidade através de água espumosa e com bolhas de ar, explica Leighton. A minha ideia é que as baleias, ao mesmo tempo que produzem a coluna de ar, estão a fazer sons altos e assustadores, que obrigam os peixes a permanecer no interior da coluna, na zona silenciosa. 

 

Existe agora um grande potencial para a utilização destas descobertas, principalmente a nível da guerra moderna, pois zonas de águas baixas, como o Golfo Pérsico, têm ondas e bolhas onde se podem esconder objectos como minas. 

Bem melhor seria utilizar estes conhecimentos para a medicina, pois as bolhas podem ser colapsadas no interior do corpo com a ajuda de ultra-sons, o que as torna potencialmente importantes para a busca e destruição de células perigosas, como as cancerosas. 

Podemos imaginar que um dia se recubra a sua superfície de forma a detectarem tipos celulares específicos enquanto viajam pelo corpo, refere Leighton. Quando as bolhas se ligarem às células que procuramos, utilizaremos os ultra-sons para as colapsar. As bolhas funcionariam como micro-injectores, libertando seja o que for que contivessem, matando as células perigosas. 

 

 

Saber mais:

Institute of Sound and Vibration Research

Mamíferos marinhos vítimas da guerra ao "eixo do mal"

Sonar pode ser responsável pela morte de cetáceos

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com