2004-03-24

Subject: Estudo sobre gorilas dá pistas sobre a sociedade humana

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Estudo sobre gorilas dá pistas sobre a sociedade humana

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

O gorila ocidental vive pacificamente em grupos sociais ao estilo humano, revelou um estudo agora publicado. Até agora, apenas o gorila de montanha, conhecido pelo seu comportamento relativamente agressivo de bater no peito e combates entre machos, tinha sido observado na natureza. 

Mas esta nova pesquisa, publicada na revista Current Biology, sugere que o gorila ocidental interage pacificamente com outras espécies de grandes símios, lançando nova luz sobre o mundo social dos primeiros humanos. Sugere que alguns aspectos do comportamento dos gorilas são partilhados com chimpanzés e humanos. 

As provas agora trazidas a público são baseadas em estudos de campo do gorila ocidental das terras baixas Gorilla gorilla gorilla que vivem na fronteira da República Centro Africana com a República Democrática do Congo, na estação de investigação de Mondika. 

Investigadores alemães e americanos recolheram pêlos e amostras de fezes de ninhos usados por diferentes grupos sociais, de forma a que se possa analisar o DNA dos animais. Os testes de paternidade indicam que grupos sociais vizinhos eram chefiados por machos geneticamente relacionados, logo o encontro de líderes dorso prateados é bastante pacífico. 

Geralmente nos gorilas de montanha, quando os grupos se cruzavam na floresta, a interacção entre machos é bastante agressiva, envolvendo exibições de pancadas no peito e mesmo violência física, explica Brenda Bradley, do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva de Leipzig. Nos gorilas ocidentais, os investigadores observaram interacções muito pacíficas entre grupos, o que os deixou muito espantados. 

 

Os investigadores acreditam que este tipo de comportamento se deve á existência de uma extensa família de machos, uma rede de parentesco entre machos. Quando um gorila macho deixa o grupo onde nasceu e funda a sua própria família, tem tendência para permanecer na mesma área da floresta, continuando a interagir com os grupos liderados pelo seu pai e pelos seus irmãos. O mesmo já tinha sido visto em chimpanzés, os nossos parentes mais próximos, sugerindo que as sociedades humanas primordiais terão evoluído de forma semelhante. 

Há medida que as primeiras sociedades humanas evoluíam, terão sido as redes de parentesco entre machos a formar a base para a união de grupos cada vez maiores, formando uma verdadeira sociedade, refere a co-autora do estudo Linda Vigilant. 

Os gorilas são os maiores dos grandes primatas e entre as espécies mais ameaçadas do mundo. A sua hierarquia taxonómica tem sido alvo de aceso debate, mas podem ser consideradas 2 espécies com 4 subespécies:  gorila ocidental, que inclui gorila do rio Gorilla gorilla diehli e gorila das terras baixas ocidental Gorilla gorilla gorilla, e gorila oriental, que inclui gorila das terras baixas oriental Gorilla berengei graueri e o gorila da montanha Gorilla berengei berengei. Os gorilas de montanha têm sido vastamente estudados, restando apenas 700 na natureza, enquanto o gorila das terras baixas ocidental é bem mais comum, com cerca de 94000 indivíduos. No entanto, estudos recentes alertaram para o seu rápido declínio, devido à caça furtiva e às doenças. 

 

 

Saber mais:

Current Biology

WWF

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com