2004-03-22

Subject: Macacos traquinas abençoam Bangladesh

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Macacos traquinas abençoam Bangladesh

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

A cidade de Keshabpur está a ser invadida por centenas de macacos, que roubam e entram nas casas, mas a população continua a considerá-los um amuleto. Este local é abençoado, é por isso que os macacos aqui vivem, explica Haridun Chakrabati, o Brahmin do templo Hindu da cidade. Estes macacos não vivem em mais nenhum lado do Bangladesh, vêm para aqui porque as pessoas são amistosas e os veneram como deuses. 

A maioria das pessoas no Bangladesh é muçulmana, mas a cidade de Keshabpur é lar para muitos hindus, que veneram os macacos langures de face negra como Hanuman, o deus macaco. 

No entanto, a relação entre pessoas e macacos não é fácil, pois os animais vagueiam por toda a cidade, invadindo jardins, cozinhas e mesmo os sacos de compras. Muitos têm receio de ser atacados pelos animais, mas ainda assim os veneram. 

Eles assustam-nos e estragam coisas, mas sempre que nós os perdoamos, eles perdoam-nos a nós, é por isso que para nós são sagrados, explica uma dona de casa de 34 anos. 

O telhado do hospital local é outro local preferido dos macacos, diz Rena Parvin. Eles roubam-nos tudo, desde bananas a bolos, tudo o que trazemos para os doentes. Se resistimos, tornam-se agressivos, arranham-nos a face e rasgam-nos as roupas. 

Os habitantes locais referem que os macacos se mudaram para Keshabpur há mais de um século. Chegaram a existir aos milhares, mas agora restam cerca de 350. 

 

 A Poverty Elimination Assistance Centre é a organização de caridade que alimenta os macacos com bananas e frutos duas vezes por dia. O principal perigo para os macacos são os fios eléctricos, que não são isolados em Keshabpur, diz Monirun Jonday, coordenador do projecto. Quando saltam de ramo para ramo e tocam nos fios, são electrocutados. Todos os anos morrem cerca de 15 macacos dessa forma. 

Uma solução que se tentou  foi o realojamento dosa macacos nas florestas nos arredores da cidade. Os machos dominantes foram sedados e transportados para a floresta, na esperança de que os restantes os seguissem. No entanto, apenas algumas horas depois, os machos estavam de volta e por agora a população de Keshabpur tem aprendido a viver com esta duvidosa benção.  

 

 

Saber mais:

Nuisance monkeys face sterilisation

Monkeys invade Delhi government

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com