2009-07-18

Subject: Lagarto minúsculo cai como uma pena

 

Lagarto minúsculo cai como uma pena

 

 

Dificuldades em visualizar este email?

Consulte-o online!

Holaspis guentheri

Uma minúscula espécie de lagarto é tão leve que cai para o chão como uma pena, descobriram os cientistas.

Externamente, pouco no corpo do animal parece adaptado ao voo, a planar ou a qualquer outra forma de deslocação pelo ar mas uma filmagem em câmara lenta revelou que quando o lagarto salta de um ponto alto consegue abrandar a sua taxa de descida e pousar suavemente no solo.

A surpreendente capacidade aérea deste lagarto pode ajudar a explicar como alguns animais se tornaram verdadeiros planadores. Detalhes dos talentos deste lagarto foram publicados na última edição da revista Journal of Experimental Biology.

O voo activo, mantido pelo bater das asas, evoluiu em três linhagens vivas de animais: aves, morcegos e insectos. No entanto, pelo menos 30 tipos diferentes de animais desenvolveram a capacidade de controlar a sua descida aérea, usando 'pára-quedas' ou planando.

Por exemplo, as rãs planadoras utilizam as suas enormes patas com membranas interdigitais, os esquilos voadores usam longas abas de pele esticadas entre os membros anteriores e posteriores e os peixes voadores usam as barbatanas para planar. 

Holaspis guentheri

Outros animais apresentam adaptações morfológicas menos óbvias.

As cobras planadoras achatam e ondulam os seus corpos, o que ajuda a retardar a queda, enquanto algumas espécies de formigas são tão pequenas que conseguem saltar de árvores e atingir pontos mais baixos em queda livre sem se ferirem.

Por isso, Bieke Vanhooydonck, da Universidade de Antuérpia, ficou muito interessada quando leu em artigos científicos antigos o relato de evidências anedóticas de que uma espécie de lagarto relativamente comum também podia ser capaz de planar de árvore para árvore.

O lagarto Holaspis guentheri pertence a um grupo de répteis conhecido por lacertídeos, que vivem no Velho Mundo. Apesar de coloridos, não chamam muito à atenção em termos de comportamento, morfologia ou ecologia.

"Também, quando comparados com outros lagartos planadores, não apresenta qualquer adaptação morfológica conspícua a um estilo de vida aéreo, ou seja, não tem pregas cutâneas, patas com membranas interdigitais, etc.", diz Vanhooydonck. "Fiquei muito curiosa sobre se estes animais seriam realmente capazes de 'planar' e se sim, como o faziam."

 

Assim, Vanhooydonck e colegas belgas e franceses filmaram lagartos a saltar de uma plataforma colocada dois metros acima do solo.

osga saltadora (Ptychozoon kuhli)Compararam o desempenho do H.guentheri com o de um lagarto que vive nas rochas Podarcis muralis, que nunca se aventura pelo ar, e com o de uma osga saltadora altamente especializada Ptychozoon kuhli, que apresenta grandes pregas que utiliza como pára-quedas para atingir o solo.

Para cada um, examinaram a duração da descida de cada espécie, a distância horizontal que cobriam e a velocidade a que o faziam.

Tanto o lagarto das rochas como o H.guentheri aterraram a 50 centímetros da base da plataforma, enquanto a osga aterrou a um metro de distância. Mas o H.guentheri caiu durante mais tempo e mais lentamente que o seu competidor das rochas.

"Para nossa surpresa, o H. guentheri mostrou-se capaz de atrasar a sua descida e tem forças de impacto baixas quando aterra", diz Vanhooydonck. 

De facto, o lagarto pesa apenas 1,5 g, um terço do peso do lagarto das rochas e um décimo do peso da osga e quando esse factor foi considerado, os investigadores descobriram que o H.guentheri aterrou 20 cm mais longe do que deveria ter acontecido se caísse como uma pedra. 

"Também a razão da massa para a área de superfície é extremamente baixa e na casa da que se encontra na osga." No entanto, as duas espécies obtêm esta capacidade aérea de formas diferentes pois a osga atinge a baixa carga através de grande superfície com as patas com membranas interdigitais e pregas corporais mas o H. guentheri obtém o mesmo resultado por ser tão leve.

Radiografias do corpo do lagarto revelaram que os seus ossos são ocos e cheios de ar. Apesar do baixo peso do lagarto e a capacidade de cair suavemente estarem associados, não é claro se os seus ossos cheios de ar são uma adaptação ao salto de pára-quedas ou se evoluíram por outra razão.

Também não é claro se o H.guentheri plana de árvore para árvore para escapar aos predadores ou para se deslocar de forma mais eficiente.

"Como os lagartos têm um estilo de vida muito discreto, é difícil observá-los na natureza mas parece plausível que usem esta estratégia como escapatória", diz Vanhooydonck. E esta pode ter sido a maneira como outros animais planadores deram os primeiros passos evolutivos em direcção a um estilo de vida aéreo, diz ela. 

 

 

Saber mais:

Répteis voadores fornecidos em tamanho de bolso

Dinossauro leva cientistas a repensar a evolução das aves

Bieke Vanhooydonck

 

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2009


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com