2009-06-03

Subject: Inversão de papéis mina teorias sobre o speed dating

 

Inversão de papéis mina teorias sobre o speed dating

 

 

Dificuldades em visualizar este email?

Consulte-o online!

O chamado speed dating não é só popular entre os que buscam romance, os psicólogos descobriram que conseguem verdadeiras hordas de estudantes para participar em estudos sobre a escolha de parceiros oferecendo oportunidades de speed dating nos campos universitários em troca do direito de analisar o comportamento de acasalamento durante os eventos.

Um estudo revelado na revista Psychological Science salienta que o comportamento cavalheiresco criado pela experiência de speed dating pode estar a deturpar os resultados.

Normalmente, no speed dating, os homens andam em volta de uma sala visitando uma sucessão de mulheres sentadas para pequenos encontros com apenas alguns minutos de duração. Posteriormente, os participantes anotam quem gostariam de encontrar novamente. Se houver concordância, os organizadores ajudam as pessoas a contactar-se.

Os psicólogos descobriram que apesar de os homens escolherem, em média, voltar a ver cerca de metade das mulheres na sala, as mulheres escolhem voltar a ver apenas um terço dos homens.

Na realidade isso não é uma surpresa. Entre os animais, as fêmeas são geralmente as esquisitas, pois é sobre elas que recai o maior investimento reprodutivo. No entanto, este novo estudo realizado por Eli Finkel e Paul Eastwick, psicólogos sociais na Universidade Northwestern em Evanston, Illinois, demonstra que mudar o formato do speed dating altera o comportamento humano e altera dramaticamente o seu resultado.

"Pedimos a executivos de uma empresa comercial de speed dating por que motivo sempre punham os homens a rodar, ao que responderam que era porque as mulheres normalmente trazem carteiras e outras coisas para transportar e também porque 'parece mais cavalheiresco'", diz Eastwick. Por isso, os investigadores decidiram explorar se o facto de os machos se dirigirem a fêmeas sentadas teria um efeito psicológico.

Os investigadores organizaram 15 eventos de speed dating para 350 adultos jovens. Durante oitos desses eventos os homens rodavam entre mulheres sentadas e durante os restantes sete as mulheres é que se deslocavam entre homens sentados.

Quando os homens rodavam, eles diziam sim 50% do tempo e as mulheres diziam sim 43% das vezes. No entanto, quando as mulheres rodavam a tendência para a maior selectividade feminina desaparecia, com os homens a dizerem sim 43% das vezes e as mulheres a dizerem sim 45% das vezes.

"Foi surpreendente que só por invertermos o sexo que rodava termos demolido uma diferença sexual tão bem estabelecida, uma que frequentemente tem sido atribuída a adaptações psicológicos profundamente enraizadas", diz Finkel.

 

Os investigadores pensam que a razão para este fenómeno está relacionada com a personificação, a ideia de que as acções físicas podem alterar a percepção. Aproximar algo de nós torna o objecto que está a ser aproximado mais apelativo, enquanto afastar algo para longe o torna menos desejável.

Finkel e Eastwick defendem que aproximar-se de alguém faz com que a mente deseje aquilo de que se aproxima, pois as pessoas têm o hábito de se deslocar em direcção aos objectos que querem e de se afastar de objectos que não querem.

"Gostava de ver a descoberta replicada noutras populações e com outros métodos … mas se existem efeitos robustos do movimento conduzindo a alterações na escolha de parceiro, isso realmente sugere um efeito de personificação que deve ser explorado", diz Peter Todd, psicólogo na Universidade do Indiana em Bloomington, que tem recolhido dados que sugerem que as mulheres são mais selectivas que os homens no speed dating.

No entanto, existem outras possibilidades. "Trata-se de homens não licenciados neste estudo e sabemos que a razão cintura-anca feminina é muito importante para eles", diz Robert Kurzban, da Universidade da Pennsylvania em Filadélfia, que também publicou estudos sobre speed dating que demonstram que as mulheres são mais selectivas que os homens. "Em cenários com homens sentados e mulheres a rodar, os homens sentados podem ter-se tornado mais selectivos simplesmente porque conseguiam recolher mais informação sobre a razão cintura-anca que homens que só socializavam com mulheres sentadas."

Independentemente da razão por trás do efeito, a descoberta de Finkel e Eastwick tem o potencial para forçar a uma reanálise dos dados recolhidos em estudos sobre speed dating anteriores.

"Os resultados de estudos mais antigos provavelmente vão ser alterados se repetirmos experiências de speed dating com as mulheres a rodar em vez dos homens", diz Kurzban. No entanto, ele é rápido a acrescentar que não acha que a descoberta vá contrariar o vasto corpo de literatura que mostra que as fêmeas, de muitas espécies, sejam o género mais selectivo. "Esta descoberta revela um pedaço do puzzle da escolha de parceiro que ainda não tínhamos visto mas, por si só, não altera o panorama geral."

Mas em todas as experiências com speed dating vão ter que ser repetidas, diz Todd. Muitos estudos, como os que usam interacções com o speed dating como 'estímulo', com terceiros a observar os encontros e a terem de avaliar o interesse romântico de outros, não serão afectados. 

 

 

Saber mais:

Eli Finkel

Paul Eastwick

 

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

simbiotica.org  |  Arquivo Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2009


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com