2009-05-22

Subject: Associação entre diabetes e disfunção eréctil

 

Associação entre diabetes e disfunção eréctil 

 

 

Dificuldades em visualizar este email?

Consulte-o online!

Cientistas da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP) descobriram porque é que os homens diabéticos são mais susceptíveis a sofrer de disfunção eréctil do que os homens que não têm esta doença. 

De acordo com a equipa de investigadores liderada pela cientista Carla Costa, nos diabéticos há um número muito significativo de células endoteliais (constituintes dos vasos e das artérias) que entram em autodestruição e “morrem”.

Para chegar a esta conclusão, foi essencial a cooperação com o reputado cirurgião vascular Ronald Virag, director do “Centre d’Explorations et Traitements de l’Impuissance” em Paris, que disponibilizou ao grupo de cientistas da FMUP 13 amostras de tecido humano recolhido de homens diabéticos (durante intervenções cirúrgicas para colocação de implantes penianos) e cinco amostras de homens saudáveis (que realizaram cirurgias para aumento/alargamento do pénis).

A equipa da FMUP avaliou a estrutura e a viabilidade das amostras cedidas pelo investigador francês. Os resultados demonstraram que existe um padrão repetitivo de morte celular nas células endoteliais que revestem os vasos do pénis em todos os indivíduos diabéticos. 

Após observar este fenómeno, a equipa de investigação contabilizou o número de células em autodestruição nas amostras dos dois grupos de homens, tendo verificado que no tecido eréctil dos homens diabéticos o número de células em processo de morte celular é quatro vezes maior do que nos indivíduos não-diabéticos.

 

Esta descoberta explica porque é que os tradicionais fármacos orais para tratamento da disfunção eréctil, tais como o Viagra, falham neste grupo de pacientes. 

De acordo com os especialistas, estas drogas actuam sobre as células musculares e as células endoteliais do tecido peniano. Dado que, nos diabéticos, uma grande parte dessas células está afectada, não é produzido o efeito desejado ao nível da erecção.

O trabalho dos investigadores da FMUP foi publicado no “Journal of Sexual Medicine”. A linha de investigação conduzida por esta equipa pretende testar, no futuro, uma nova terapia para reabilitar os vasos do pénis, melhorando a função eréctil nos pacientes diabéticos.

 

 

Saber mais:

Alzheimer é diabetes do cérebro

Tratamento para a diabetes a partir de pele de rã?

 

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

simbiotica.org  |  Arquivo Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2009


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com