2009-05-18

Subject: Golfinhos avistados a tentar matar uma cria 

 

Golfinhos avistados a tentar matar uma cria 

 

 

Dificuldades em visualizar este email?

Consulte-o online!

Golfinhos tucuxi adultos foram observados a tentar matar uma cria recém-nascida da sua própria espécie, situação que é a primeira vez que é registada.

Apesar de comum em muitas espécies de mamíferos, o infanticídio raramente foi registado entre cetáceos. Até agora, o comportamento apenas foi registado duas vezes em roazes mas este novo episódio sugere que pode ser mais vulgar do que se pensava.

Os golfinhos tucuxi Sotalia guianensis vivem na água doce da bacia do Amazonas ou na costa desde o Brasil à Nicarágua, em água salgada.

Os machos adultos tucuxis de água salgada são conhecidos por serem mais agressivos uns com os outros durante a época de acasalamento mas nunca tinham sido observados a ser agressivos ou violentos com os membros mais jovens da sua espécie.

Isso até Mariana Nery, da Universidade do Sul do Chile em Valdivia, e Sheila Simão, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, os começarem a estudar na zona da baía de Sepetiba, Brasil.

Na manhã de cinco de Dezembro de 2006, quando o mar estava calmo, elas observaram um grupo de seis golfinhos tucuxi adultos a abordar uma mãe e o seu recém-nascido.

Dois dos adultos separaram a mãe da cria. A fêmea começou a realizar manobras de evasão, tentando evitar os machos mas o outro grupo de quatro adultos impediu-a, batendo-lhe com as barbatanas e abalroando-a. Qualquer tentativa da mãe para escapar e aproximar-se da cria era impedida pelo grupo de quatro, que lhe bloqueava o caminho.

A fêmea expunha frequentemente a barriga à superfície, fosse como um acto de submissão ou como sinal de receptividade para com os machos.

A quatro metros de distância, os dois adultos restantes abalroavam e mantinham a cria debaixo de água. Atiraram-na ao ar e voltaram a mantê-la debaixo de água. 

 

A cria ficou desorientada e nadava com muita dificuldade. Apesar de as investigadores terem voltado a ver a mãe alguns dias depois, a cria nunca mais foi vista. "Estamos convencidas que os ferimentos sofridos pela cria neste encontro foram fatais", relatam elas num artigo publicado na revista Marine Mammal Science. 

"Esta é a primeira vez que observámos este tipo de agressão", explica Nery. "É difícil dizer se estavam realmente a tentar matar a cria ou se era uma brincadeira que foi longe demais mas não há dúvida que tinham a intenção de separá-la da mãe."

Elas acreditam que o incidente se vem juntar a um corpo crescente de evidências de que os golfinhos selvagens praticam o infanticídio. Noutros animais, os machos matam frequentemente as crias que não lhes pertencem para induzir a mãe a tornar-se sexualmente receptiva.

"Os golfinhos fêmea tornam-se sexualmente receptivos alguns dias após perderem uma cria", diz Nery. Isso, combinado com o interesse sexual mostrado pelo grupo na mãe, sugere que terão morto a cria por razões semelhantes. 

 
 

 

Saber mais:

Marine Mammal Science

The Tucuxi

 

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2009


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com