2009-05-07

Subject: Árvores de fruta selvagens em risco de extinção

 

Árvores de fruta selvagens em risco de extinção

 

 

Dificuldades em visualizar este email?

Consulte-o online!

Os ancestrais selvagens das vulgares árvores de fruta domésticas estão em risco de se extinguirem, alertam os cientistas.

Os investigadores publicaram uma "lista vermelha" de espécies ameaçadas que são nativas das florestas da Ásia central e nela encontram-se árvores de fruto resistentes a doenças e tolerantes a climas extremos que podem desempenhar um papel central no futuro da nossa segurança alimentar.

No entanto, nos últimos 50 anos cerca de 90% das florestas foram destruídas, revela o estudo realizado pela organização de conservação Fauna & Flora International.

A Lista Vermelha da Ásia Central identifica 44 espécies de árvores em países como o Quirguistão, Cazaquistão, Uzbequistão, Turquemenistão e Tajiquistão como ameaçadas de extinção.

O relatório cita a sobreexploração e o desenvolvimento humano como as principais ameaças às florestas da região, que são lar de mais de 300 espécies produtoras de frutas e frutos secos, incluindo maçãs, ameixas, cerejas, pêssegos e nozes. 

Antónia Eastwood, autora principal da pesquisa agora publicada, descreve a região como "um ponto quente único de diversidade global". 

"Muitas destas espécies só são encontradas nesta zona", diz ela. "É uma zona muito montanhosa e seca, logo muitas destas espécies têm uma grande tolerância ao frio e à seca. Muito do nosso fornecimento doméstico de fruta provém de uma base genética muito estreita e dadas as ameaças que as doenças e as alterações climáticas colocam ao nosso fornecimento de alimentos, talvez seja preciso regressar a estas espécies e incluí-las nos programas de reprodução."

 

O Cazaquistão e o Quirguistão são considerados pelos peritos como sendo o lar ancestral de frutas favoritas de todos actualmente como as maçãs vermelhas e Golden.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos já patrocinou expedições ao Cazaquistão, durante as quais os cientistas recolheram amostras com o objectivo de expandir a diversidade genética das maçãs cultivadas para consumo doméstico.

Este tipo de 'caça genética', explica Eastwood, permite às linhagens domésticas serem cruzadas com estirpes selvagens, produzindo variedades mais resistentes a doenças como a ferrugem das maçãs, uma situação que tem devastado as culturas em muitos locais. "Mas estes países não têm os recursos necessários à preservação das suas árvores valiosas", diz Eastwood.

Este ano, como parte da Iniciativa Darwin do Reino Unido, a Fauna & Flora International está a trabalhar com cientistas no Cazaquistão para desenvolver pesquisas sobre as árvores ameaçadas e desenvolver métodos para recolher a fruta de forma sustentável.

Esta organização conservacionista está a treinar cientistas locais e a desenvolver projectos envolvendo as comunidades locais no planeamento e gestão das suas florestas. 

 

 

Saber mais:

Fauna & Flora International

The Darwin Initiative

 

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

simbiotica.org  |  Arquivo Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2009


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com