2003-10-12

Subject: Gigantesca apreensão de peles no Tibete

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do Boletim Informativo Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Gigantesca apreensão de peles no Tibete

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

Mais de 1200 peles de diversas espécies ameaçadas, incluindo tigres e leopardos, foram apreendidas na região montanhosa de Ngamring.

Os agentes avaliaram a captura em mais de 780000 euros, salientando que esta foi a maior apreensão unitária de produtos de animais ameaçados de extinção desde 1951. Três tibetanos e dois nepaleses foram detidos no decorrer da operação.

As peles ilegais foram interceptadas na quinta-feira à noite, quando eram transportadas por camião do Nepal para a China pelos dois indivíduos nepaleses. O carregamento incluía um total de 1276 artigos, das quais 32 peles de tigre, 579 peles de leopardo e 665 peles de lontra. A grande maioria dos animais tinha sido abatida a tiro.

Todos os artigos entrariam na China através de uma passagem pouco conhecida nas montanhas. O caso continua em investigação, podendo ainda ocorrer detenções. 

Desde 1999, a alfândega chinesa já detectou e deteve 217 situações de tráfico ilegal de animais ameaçados, descobriu 18713 animais vivos e levou a tribunal 298 suspeitos, seguindo as autoridades chinesas. 

 

 

 

Outras Notícias:

Drogas mantêm o tráfico de animais

 

Organizações criminosos usam as rotas de contrabando de drogas e armas para o comércio ilegal de animais e seus produtos, segundo o relatório da Traffic, o programa internacional de controlo deste tipo de comércio.

Organizações poderosas, entre as quais a Mafia russa, estão a obter lucros astronómicos desta actividade, ameaçando a sobrevivência de muitas espécies. Os lucros de mais de 800%, combinados com o baixo risco de detecção e a falta de punições sérias, tornam este negócio muito atractivo.

Os animais são contrabandeados, mortos ou vivos, e ainda servem como forma de proteger e esconder carregamentos de droga. Um carregamento de Boas constritoras, por exemplo, revelou preservativos cheios de heroina nos intestinos das cobras. Os pacotes tinham sido inseridos pelo recto, o qual tinha de seguida sido cosido. Todas as cobras morreram.

Noutro incidente com cobras, a heroina estava no interior de uma gaiola de serpentes venenosas, como forma de evitar que os guardas realizassem uma busca mais cuidadosa.

Muitos animais raros e valiosos estão a ser usados como moeda de troca por estas organizações, sendo frequentemente trocados directamente por drogas. Muitas destas organizações de tráfico de animais são fachadas para a lavagem de dinheiro da droga.

   

Saber mais:   

Traffic

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo?? 

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2003


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com