2009-04-19

Subject: Comércio de animais de estimação ameaça orangotangos

 

Comércio de animais de estimação ameaça orangotangos

 

 

Dificuldades em visualizar este email?

Consulte-o online!

O comércio de orangotangos de Sumatra como animais de estimação mostra poucos sinais de declínio e está a levar a espécie ao limiar da extinção, conclui um relatório agora conhecido.

Compilado pela Traffic, a rede internacional de vigilância do comércio de fauna selvagem, sugere que estão actualmente a ser comercializados mais orangotangos do que em décadas anteriores, apesar da espécie ser classificada como criticamente ameaçada e restarem apenas 7 mil animais.

A Traffic refere que as autoridades indonésias têm que levar avante as acusações e as penalizações contra os comerciantes ilegais pois esta espécie é protegida tanto por leis nacionais como internacionais.

"Não há nada a que demova aqueles que cometem estes crimes se eles continuam por castigar", diz Chris Shepherd, director da Traffic no sudeste asiático. "A Indonésia tem leis adequadas mas sem penalizações sérias este tipo de comércio ilegal vai continuar e estas espécies vão continuar a sua espiral até à extinção."

A organização segue orangotangos, gibões e outros primatas em jardins zoológicos, mercados e centros de reabilitação por toda a ilha de Sumatra. 

Os comerciantes disseram aos investigadores que podiam encomendar orangotangos e outras espécies ameaçadas, como ursos e tigres, mas as evidências mais directas vieram dos centros de reabilitação, que existem para ajudar os orangotangos e gibões mantidos como animais de estimação desde a infância a se adaptarem à vida na natureza.

No período entre 2002 e 2008, os centros estavam a resgatar cerca de 20 orangotangos de lares onde já não eram desejados todos os anos, enquanto nas décadas anteriores a média era de cerca de metade desse número.

Apesar de outros factores poderem ajudar a explicar a diferença, nomeadamente a abertura de um novo centro, pode também significar que o número de animais a ser comercializado subiu, apesar das populações selvagens terem diminuído.

 

Cerca de metade dos animais entraram no processo de reabilitação com idade inferior a quatro anos, muito antes de atingirem a maturidade, indicando que foram capturados em bebés, um processo que quase sempre envolve matar a mãe.

O orangotango de Sumatra Pongo abelii está mais ameaçado de extinção que a outra espécie, proveniente do Bornéu. Na década de 90, todos os anos foi destruída floresta capaz de suportar a vida a cerca de mil grandes símios. A população total reduziu-se em 80% no espaço de 75 anos, principalmente devido à desflorestação mas muito ajudada pelo comércio de animais de estimação.

Subsequentemente, a guerra civil na província de Aceh, na extremidade norte de Sumatra reduziu o comércio de madeira mas o acordo de paz obtido em 2005 e o crescente interesse em óleo de palma estão a colocar novas pressões sobre as florestas e, portanto, sobre o orangotango.

No ano passado, o governo nacional e as 10 autoridades provinciais da ilha comprometeram-se a acabar com a perda das florestas e das espécies nativas, bem como a tornar o desenvolvimento local sustentável.

A Traffic é uma iniciativa conjunta da International Union for the Conservation of Nature (IUCN), onde se incluem muitos governos, e da organização conservacionista WWF.

 

 

Saber mais:

Lista Vermelha das espécies ameaçadas

Traffic

 

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

simbiotica.org  |  Arquivo Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2009


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com