2009-03-09

Subject: Chimpanzé planeava ataques com pedras

 

Chimpanzé planeava ataques com pedras

 

 

Dificuldades em visualizar este email?

Consulte-o online!

Santino (PA)Um chimpanzé macho alojado num jardim zoológico sueco planeou centenas de ataques por arremesso de pedras contra os visitantes, revelam agora os investigadores.

Os funcionários do jardim zoológico de Furuvik descobriram que o chimpanzé recolhia e armazenava pedras que depois usava como mísseis.

Para além disso, o chimpanzé aprendeu a reconhecer como e quando partes do seu compartimento de betão podiam ser arrancadas e trabalhadas para fabricar outros projécteis. 

Até agora tem havido muito poucas evidências de que os animais pudessem fazer planos para eventos futuros.

Crucial para o estudo em questão é o facto de Santino, um chimpanzé alojado no jardim zoológico de uma cidade a norte de Estocolmo, recolher as pedras num estado perfeitamente calmo, antes de o jardim zoológico abrir ao público de manhã.

O lançamento das pedras acontecia horas mais tarde, durante as exibições de dominância perante os visitantes do jardim zoológico, com Santino num estado "agitado".

Isto sugere que Santino estava a antecipar um estado mental futuro, uma capacidade que tem sido difícil de provar com certezas em animais, comenta Mathias Osvath, investigador cognitivo da Universidade de Lund, Suécia, e autor desta nova investigação.

"Já realizámos estudos experimentais e os chimpanzés, na minha opinião, revelam claramente que conseguem planear para necessidades futuras mas tem sido defendido que talvez se tratasse apenas de um artefacto experimental. Agora temos este comportamento espontâneo, que é ainda melhor prova."

Osvath embarcou neste estudo depois de o pessoal do jardim zoológico ter descoberto montes de pedras na secção do recinto frente à área de visão do público.

Desde a descoberta inicial em 1997, centenas de montes foram removidas para proteger os visitantes, com quem as pedras e o comportamento agressivo parecem estar exclusivamente relacionados. Em épocas em que o jardim zoológico está fechado, Santino nem recolhe nem atira projécteis.

 

Ainda mais interessante, Santino parece ter aprendido a detectar partes fracas nos blocos de betão no centro do recinto. Quando a água escorre pelas fendas e congela, pedaços desprendem-se e produzem um som cavo quando batidas.

Santino foi observado a bater suavemente nos blocos de betão, batendo com mais força para destacar os pedaços que estavam a soltar-se e a juntá-los às suas pilhas de munições.

Existem muitos exemplos de comportamentos complexos em grandes símios que sugerem formas de consciência.

pilha de munições (M Osvath)Comportamento planeado como o relatado neste estudo está associado à chamada consciência autono-ética, onde informação devida à memória pode ser distinguida daquela proveniente dos sentidos.

"Estou pessoalmente convencido que pelo menos os chimpanzés planeiam realmente para necessidades futuras, que têm consciência autono-ética", diz Osvath. 

"Espero que outros jardins zoológicos ou até os que estão mais em contacto com a fauna selvagem olhem com mais atenção para o que se passa. Apostos que há muitos comportamentos do género por aí, não me espantava que fossem encontrados rapidamente em golfinhos ou outras espécies." 

 

 

Saber mais:

Abraços acalmam chimpanzés ansiosos

Macacos compreendem o conceito de dinheiro

Chimpanzés praticam autocontrolo

 

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2009


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com