2008-11-01

Subject: Tigres dente-de-sabre caçavam em bando

 

Tigres dente-de-sabre eram animais sociais

 

   

Sabretooths hunting in a pack

Esqueça as suas presas ferozes, os tigres dente-de-sabre eram animais sociais que viviam em grupos familiares como os leões actuais, revelaram investigadores ingleses e americanos.

A abundância de fósseis destes animais nos poços de alcatrão californianos sugere que eram necrófagos de grupo, atraídos pelos sons de desespero doutros animais encurralados nos poços.

Uma investigação em África revelou que o som das presas atrai carnívoros sociais mas não caçadores solitários. Esta situação sugere que o tigre dente-de-sabre também era social, alega o estudo agora publicado na revista da Royal Society.

O tigre dente-de-sabre Smilodon fatalis ficou famoso pelos seus caninos extremamente longos, que alcançavam 15 cm de comprimento e se alongavam abaixo da mandíbula inferior. Mas ainda que sejam conhecidos por tigres devido ao tamanho, na realidade a espécie pertence a uma subfamília diferente e vivia de forma muito distinta.

Ainda que fossem predadores poderosos, eram animais sociais, considera Chris Carbone, parceiro de investigação da Zoological Society de Londres. "O extinto tigre dente-de-sabre Smilodon fatalis tem sido um enigma, não se sabia praticamente nada do seu comportamento. Esta investigação permitiu-nos concluir que este felino devia deslocar-se em grupos formidáveis e não como um animal solitário e discreto."

O S.fatalis, uma das muitas espécies de dente-de-sabre, viveu desde há 1,6 milhões de anos até há 10 mil anos, nas Américas do norte e do sul. Muitos fósseis de Smilodon foram encontrados nos poços de alcatrão do final do Pleistocénico no Rancho La Brea, Califórnia, aparentemente atraídos para a perdição pelos gritos dos herbívoros moribundos. De facto, os fósseis são tão numerosos que os paleontólogos acreditam agora que os felinos eram caçadores de grupo, necrófagos que vinham partilhar os despojos.

Em busca de mais evidências, Carbone e a sua equipa analisaram o comportamento dos carnívoros actuais na região do Serengeti na Tanzânia e no Parque Nacional Kruger na África do Sul.

Os grandes felinos foram atraídos para certos locais através de sons gravados de presas em aflição ou de leões e hienas. As gravações atraíram grande número de espécies de carnívoros sociais, com leões e hienas a dominar com 84% dos indivíduos presentes, mas os carnívoros solitários, de todos os tamanhos, eram raros.

 

De modo geral, os carnívoros sociais foram atraídos pelas gravações cerca de 60 vezes mais frequentemente do que seria de esperar, com base na sua abundância relativa às restantes espécies de carnívoros na região.

Os investigadores comparam estes animais às espécies de carnívoros atraídas para os poços de alcatrão, aparentemente pelos sons das presas aflitas, e, mais uma vez, descobriram que duas espécies parecem dominar: o presumivelmente social lobo gigante (51%) e o Smilodon fatalis (33%), que originavam 84% dos carnívoros nos poços de alcatrão.

"As espantosas semelhanças entre as gravações e o registo fóssil apoia a conclusão de que o Smilodon era social", diz Carbone.

"Os dentes-de-sabre dependiam da necrofagia como fonte de alimento e provavelmente desenvolveram uma organização social mais complexa para optimizar a sua ingestão calórica."

Alan Turner, perito em evolução dos carnívoros na Universidade John Moores de Liverpool, comenta: "Estas descobertas fazem todo o sentido quando analisamos o quadro geral. Nos poços de alcatrão encontramos tantos fósseis de tigre dente-de-sabre, quase um predador para cada presa."

"A implicação é que vários carnívoros foram atraídos por cada presa. Logicamente, estes predadores não vinham todos de territórios diferentes. Temos agora um conjuntos de evidências, desde o registo fóssil aos modernos estudos ecológicos, que sugere que os tigres dente-de-sabre eram sociais."

A investigação, publicada na revista Biology Letters da Royal Society, envolveu cientistas da Universidade da Califórnia, da Universidade Tshwane de Tecnologia e da Universidade de Pretória.

 

 

Saber mais:

Zoological Society of London

Tigres dente-de-sabre tinham dentada surpreendentemente fraca

 

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

simbiotica.org  |  Arquivo Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2008

Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com