2008-10-26

Subject: Próstata desenvolvida em ratos

 

Próstata desenvolvida em ratos

 

 

Dificuldades em visualizar este email?

Consulte-o online!

Os cientistas desenvolveram uma nova próstata em ratos, noutro importante avanço em tecnologia de células estaminais.

A equipa de San Francisco foi capaz de isolar células com a capacidade de gerar uma próstata completa através de uma técnica, revelada na última edição da revista Nature, que pode lançar luz sobre a forma como os tumores da próstata se desenvolvem.

No entanto, qualquer ilusão de que a técnica pode conduzir à possibilidade de transplantes em homens a que a glândula foi removida foi já descartada.

A próstata é uma glândula anexa do sistema reprodutor masculino localizada perto da bexiga e cuja função é produzir alguns dos líquidos que formam o esperma mas é também uma fonte comum de cancro, especialmente nos homens mais velhos.

Um quarto dos novos casos de cancro diagnosticados em homens são cancro da próstata e todos os anos 10 mil deles morrem da doença, apenas no Reino Unido.

Os investigadores americanos foram capazes de detectar um tipo de célula estaminal que se divide para formar todos os tipos de células presentes na glândula anexa. Quando estas células estaminais de rato foram transplantadas de volta para os animais, desenvolveram-se em novas próstatas.

Mas é claro que isso não significa que novas próstatas possam ser fabricadas para os homens que as perderam. A nova glândula teria que estar ligada à uretra e aos complexo sistema de nervos que controla a sua actividade. Mas mesmo que esta cirurgia complicada fosse possível, muitos médicos defendem que os benefícios para um homem idoso da presença da glândula não o justificaria.

Robin Lovell-Badge, do MRC National Institute for Medical Research, comenta: "Claro que o principal problema clínico da próstata não é a necessidade de ter novas mas o seu crescimento excessivo, que frequentemente se transforma em cancro da próstata."

 

"No entanto, conhecer a identidade destas células estaminais pode eventualmente permitir o desenvolvimento de terapias que as tenham especificamente como alvo e permita mantê-las sob controlo."

Malcolm Alison, professor de biologia das células estaminais na Escola de Medicina de Londres, concorda, dizendo que, em homens mais velhos, a próstata tem tendência a ser a causa de "problemas médicos sérios".

"No entanto, é uma visão largamente aceite que o cancro tem origem em células estaminais normais, logo esta descoberta pode ser um impulso significativo para a investigação do cancro da próstata, que se destina a compreender como esta doença mortal se desenvolve."

John Neate, da The Prostate Cancer Charity, diz: "Este estudo é uma peça importante do quebra-cabeças da nossa compreensão do papel das células estaminais na próstata."

"Dá-nos provas claras da existência de células estaminais na próstata de ratos, situação que os cientistas pensam pode ser semelhante em humanos. Muitos estudos estão em curso para revelar o papel das células estaminais no desenvolvimento do cancro e na forma como respondem aos diversos tipos de tratamento." 

 

 

Saber mais:

Nature

Cancro revela truque cruel

Resposta imunitária crucial na luta contra o cancro

 

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

simbiotica.org  |  Arquivo Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2008


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com