2004-02-25

Subject: Focas serão seguidas após libertação em Inglaterra

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Focas serão seguidas após libertação em Inglaterra

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

Seis focas órfãs criadas em cativeiro foram libertadas e tecnologia satélite irá ajudar a seguir a sua adaptação ao seu meio natural. Os transmissores colados ao pêlo irão emitir a sua posição, bem como a duração e profundidade dos seus mergulhos. Os investigadores esperam estudar o impacto do seu desenvolvimento em cativeiro. 

Os 4 machos e 2 fêmeas sofriam de subnutrição, apresentavam ferimentos e tinham sido abandonados pelas respectivas mães. 

O pessoal do East Winch Wildlife Centre em Norfolk, acompanharam o seu desenvolvimento até que atingiram os 32 a 46 Kg, peso que consideravam necessário para que pudessem sobreviver. 

Os emissores colados ao pêlo de Nemo, Hércules, Shrek, Snoopy, Skippy e Morocco, um macho encontrado em Dover no último Verão, devem manter-se no lugar até Agosto próximo. 

Esta equipa trabalhou em conjunto com a Sea Mammal Research Unit da Universidade de St Andrews, que já tem um programa de vigilância de focas comuns selvagens na área. 

O estudo irá revelar se as focas sabem instintivamente como mergulhar em busca de alimento com eficiência, ou se é necessário tempo até que o façam, após a libertação. Se for descoberto que a sua perícia não é suficiente, iremos passar a incentivar mais os nossos animais a mergulhar, nas piscinas de treino, referem os investigadores. 

 

Outras Notícias:

Acordo para abrandar a perda de espécies

 

Mais de 180 países terminaram a 7ª Conferência das Partes da Convenção para a Biodiversidade, decorrida em Kuala Lumpur, com a assinatura de um acordo para abrandar o declínio global da Biodiversidade.

Os delegados presentes acordaram em estabelecer redes de áreas protegidas, terrestres e marinhas, e em oferecer incentivos para as nações mais pobres protegerem o ambiente. Em 2012, determinadas áreas dos Oceanos deverão ser incluídas nas redes de áreas protegidas, mas não foi aprovado nenhum plano para se atingir tal objectivo.

O modo de pagamento de incentivos para os países em desenvolvimento, por parte dos países mais ricos, também ficou por debater. Outra desilusão tem a ver com o facto de o conhecimento tradicional de populações indígenas estar, comprovadamente, sujeito a usurpação, e nenhumas medidas terem sido tomadas. Por exemplo os direitos sobre o conhecimento sobre plantas medicinais, transmitido ao longo de gerações, não foram salvaguardados.

 

 

Saber mais: 

University of St Andrews

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com