2008-10-12

Subject: Bactéria mais solitária do mundo fornece pistas para vida noutros planetas

 

Bactéria mais solitária do mundo fornece pistas para vida noutros planetas

 

 

Dificuldades em visualizar este email?

Consulte-o online!

Desulforudis audaxviator @ Greg Wanger, J Craig Venter Institute, and Gordon Southam, University of Western OntarioUma bactéria que vive totalmente sozinha e sobrevive sem oxigénio e na mais completa escuridão foi descoberta na África do Sul.

A bactéria Desulforudis audaxviator, também conhecida em português por viajante destemida, depende apenas da presença de água, hidrogénio e sulfato para obter energia.

Dado que sobrevive perfeitamente sem oxigénio, pode oferecer pistas interessantes para a forma como a vida pode existir noutros planetas.

A bactéria, que pode ser considerada a espécie viva mais solitária conhecida pela ciência, foi descoberta no interior de uma mina e ouro.

A bactéria tem forma de bastonete e foi descoberta a 2,8 km abaixo da superfície da Terra na mina Mponeng, perto de Joanesburgo, vivendo no isolamento completo, na escuridão total e com temperaturas que rondam os 60ºC.

A descoberta representa o primeiro ecossistema conhecido com uma única espécie biológica, dizem os cientistas. A espécie foi identificada pelo DNA extraído das fendas cheias de água da mina.

Dylan Chivian, do Laboratório Nacional de Berkley, Califórnia, membro da equipa que fez a descoberta, explica o seu significado.

 

"No início do desenvolvimento da Terra e de outros planetas não havia muito oxigénio, pelo que a vida evoluiu sem a sua presença. Só mais tarde, o oxigénio surgiu e a vida voltou a evoluir, desta vez para tirar partido desse gás como forma de obter energia."

"Se alguma vez descobrirmos vida noutros planetas, o mais provável é que esses seres sobrevivam sem oxigénio, usando antes moléculas como o sulfato para obter a sua energia."

O nome científico da bactéria é, em parte, baseado na frase em latim da obra de Júlio Verne "Viagem ao centro da Terra": "Descende, Audax viator, et terrestre centrum attinges", que se pode traduzir como "Desce, viajante destemido, e alcança o centro da Terra". 

 

 

Saber mais:

Vida e morte por baixo do fundo do mar

Até onde pode a vida descer?

 

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

simbiotica.org  |  Arquivo Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2008


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com