2008-09-20

Subject: Novas regras europeias para os matadouros

 

Novas regras europeias para os matadouros

 

 

Dificuldades em visualizar este email?

Consulte-o online!

A Comissão Europeia considera que é necessária nova legislação para melhorar o bem-estar animal nos matadouros europeus.

As actuais regras europeias sobre os matadouros animais estão "ultrapassadas em muitos aspectos", referiu a Comissão em comunicado esta semana.

De acordo com uma nova proposta, os matadouros terão que assegurar a adequada formação e treino do seu pessoal e monitorizar a eficiência do seu equipamento atordoador, ainda que os métodos actuais de atordoamento não sejam proibidos.

A proposta ainda necessita da aprovação de todos os 27 governos dos estados membros para entrar em vigor.

A nova legislação não vai entrar em vigor até que seja aprovada pelo Parlamento Europeu e pelos ministros interessados, um processo que poderá demorar até três anos.

A Comissão Europeia também considera necessária a existência de um especialista em bem-estar animal em cada matadouro.

Um dos métodos que continuará a ser utilizado é o banho electrizado, usado para animais de capoeira, "apesar das suas desvantagens relativamente ao bem-estar animal", refere a Comissão. A utilização de dióxido de carbono para matar animais também continuará, mais uma vez apesar das preocupações já expressas por muitos cientistas. A Comissão considera que não há alternativas comercialmente viáveis para esses métodos.

A nova proposta define o âmbito dos métodos de atordoamento e abate de forma mais restritiva e afirma que o atordoamento de aves com gases deve ser irreversível. "Os animais atordoados terão que ser monitorizados regularmente, de forma a que se possa garantir que não recuperam a consciência antes do abate."

 

Países terceiros que exportem carne para a União Europeia terão que respeitar os mesmos critérios nos matadouros mas as pequenas propriedades estarão isentas de algumas destas normas.

A proposta também cobre o abate de animais para a recolha de pele, o abate dos pintos machos com um dia de vida e o abate para controlo sanitário de doenças.

Todos os anos perto de 360 milhões de porcos, ovelhas, cabras e vacas, bem como vários milhares de milhão de aves de capoeira são abatidos em matadouros europeus, refere a Comissão Europeia. A industria europeia de peles é responsável pela morte de outros 25 milhões de animais.

O grupo de pressão Compassion in World Farming expressou a sua pena por a Comissão não ter exigido alternativas aos banhos de água electrificada e ao gaseamento com dióxido de carbono mas Neil Parish, presidente do comité de agricultura do Parlamento Europeu recebeu com agrado a proposta da Comissão.

"No Reino Unido já existem standards elevados para o abate de animais mas a situação não se repete em muitos países europeus, para dizer o mínimo. Precisamos de colocar tudo ao mesmo nível e esta proposta de regulamentação vai com certeza faze-lo." 

 

 

Saber mais:

Comissão Europeia

Bem-estar dos animais na UE

Compassion in World Farming

 

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

simbiotica.org  |  Arquivo Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2008


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com