2004-02-18

Subject: Equador atingido pelo comércio ilegal de vida selvagem

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Equador atingido pelo comércio ilegal de vida selvagem

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

As espécies exóticas de orquídeas, papagaios e macacos têm conseguido para o Equador uma enorme fama junto dos conservacionistas e dos turistas amantes da natureza. Mas o seu ambiente exuberante está agora a ser alvo do comércio ilegal de vida selvagem. 

No ano passado, as autoridades locais apreenderam 1521 espécimes de animais e plantas no território continental do Equador, de acordo com a Green Surveillance, uma associação entre o governo e vários grupos conservacionistas. 

Mais de 25000 barbatanas de tubarão e pepinos do mar, ambos considerados iguarias e afrodisíacos na Ásia, foram contrabandeados a partir das ilhas Galápagos. 

Trata-se de um pequeno país, com boas estradas, controlos pouco eficazes, enorme taxa de corrupção e uma espantosa diversidade de espécies. Assim, torna-se um alvo perfeito para os coleccionadores, explica Bernardo Ortiz, director da Traffic para a América do Sul. 

Na América latina, nações maiores como o Brasil, Colômbia e Peru enfrentam uma taxa de comércio ilegal de vida selvagem superior à do Equador. Mas o tamanho do Equador preocupa os ambientalistas, pois o impacto sobre o ambiente será muito superior ao observado noutros locais. 

Um dos piores problemas no Equador é o comércio de barbatanas de tubarão e de pepinos do mar nas ilhas Galápagos, a cerca de 600 milhas a oeste da costa no Pacífico. No ano passado, as autoridades apreenderam 5343 barbatanas, retiradas de mais de 1200 tubarões, em raides às ilhas, bem como 23846 pepinos do mar, de acordo com o Galápagos National Park.

Os pepinos do mar, frequentemente chamados minhocas do mar na zona, são animais espinhosos aparentados com as estrelas do mar que vivem em fundos marinhos rochosos e ajudam na reciclagem de nutrientes de volta à cadeia alimentar. Na floresta amazónica do leste do país e nos Andes, as espécies mais vulneráveis incluem macacos, papagaios, cobras e orquídeas. 

 

Perto de 3000 espécies de orquídeas podem ser encontradas no Equador e 43% delas são endémicas. Os coleccionadores estão dispostos a pagar até 10000 euros por uma flor que está perto da extinção e 300 a 500 euros por uma variedade comum. Cerca de 94% de plantas contrabandeadas do Equador são orquídeas. 

Os conservacionistas dizem que o país precisa de uma lei que regulamente o transporte de espécies, para reduzir o contrabando. Uma lei deste tipo reduziria, também, as mortes desnecessárias, pois 80% das espécies contrabandeadas morrem antes de atingirem o seu destino final. 

É frequente os locais contrabandearem animais para ganhar dinheiro rápido, mas recebem menos que estrangeiros, que entram no país como turistas e transportam ilegalmente borboletas e outros animais. Nas Galápagos, as barbatanas de tubarão são escondidas em tanques de combustível ou em sacos de café, numa tentativa de camuflar o cheiro para os cães treinados. 

As autoridades esperam que as medidas de conservação forneçam uma alternativa viável à principal exportação, crude, de que a sua economia é altamente dependente, iniciando uma vaga de ecoturismo e investigação científica. 

 

 

Saber mais: 

BiodiversidadEcuador.com

Tubarões das Galápagos sob ameaça

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com