2008-06-24

Subject: Anestesias pioram as dores pós-operatórias

 

Anestesias pioram as dores pós-operatórias

 

 

Dificuldades em visualizar este email?

Consulte-o online!

As anestesias gerais pioram as dores pós-operatórias, sugere um novo estudo em ratos.

A descoberta pode ajudar os cirurgiões a evitar a escolha dos medicamentos mais dolorosos ou levar a formas alternativas de aliviar as dores pós-operatórias.

A dor é um subproduto de muitos procedimentos cirúrgicos mas sempre se assumiu que a sua causa era a própria cirurgia. “Nunca foi sugerido que a anestesia poderia estar a contribuir para a dor", diz Gerard Ahern, da Universidade de Georgetown em Washington DC, que liderou o estudo. “A descoberta paradoxal é que a anestesia pode agravar a severidade dos danos causados pelo cirurgião."

As anestesias gerais podem causar alguns problemas, isso já se sabia. Tomadas sob a forma de injecção ou gás, as anestesias podem causar irritação no local da picada ou nas vias respiratórias e os cirurgiões frequentemente optam pelas anestesias locais para reduzir os efeitos secundários.

Mas foi uma surpresa que as anestesias gerais também agravem a dor depois de uma cirurgia. Agora, Ahern e a sua equipa revelaram que estes medicamentos podem activar nervos sensíveis à dor espalhados pelo corpo.

Quando um paciente é adormecido, o anestésico geral activa uma proteína do sistema nervoso central conhecida por receptor GABA. A desactivação desses receptores 'desliga' partes do sistema nervoso central e os pacientes ficam inconscientes.

Mas a equipa de Ahern descobriu que os receptores GABA não são as únicas proteínas activadas pelo medicamento. A anestesia também pode actuar sobre receptores das membranas dos neurónios sensíveis à dor. O alvo principal é um canal iónico conhecido por TRPA1, que responde ao óleo de mostarda e ao wasabi, entre outros irritantes. 

 

A equipa analisou a forma como estes canais reagem aos diversos anestésicos gerais, primeiro em células de cultura e depois em ratos vivos. Os seus resultados foram publicados na última edição da revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

A nova descoberta encaixa noutra investigação publicada recentemente que mostrou que as anestesias locais, algumas das quais podem também ser nociceptivas (causadoras de dor) quando injectadas, estão a actuar sobre outro tipo de canal TRP, o TRPV1, que responde ao ingrediente activo do piri-piri, a capsaicina. "É espantoso que tantos os anestésicos locais como os gerais sejam nociceptivos", diz Clifford Woolf, anestesiologista da Escola Médica de Harvard em Boston, Massachusetts.

O facto de os anestésicos gerais actuarem tanto sobre os receptores GABA como sobre os canais TRP (como os TRPA1 e TRPV1) pode ser indicador de problemas para os investigadores que querem introduzir os medicamentos sem dor. “Pode ser difícil desenvolver anestésicos que não tenham este efeito", diz Ahern.

Medicamentos que bloqueiam alguns tipos de canais TRP já estão em desenvolvimento. Por exemplo, existem medicamentos que bloqueiam o canal TRPV1, que podem ser usados em conjunto com as anestesias gerais e ajudar a ultrapassar o problema. 

 

 

Saber mais:

Anestésico vulgar altera o cérebro de ratos

Dieta gorda pode ajudar a recuperar de cirurgias

 

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com