2008-04-07

Subject: Rir para eliminar o stress

 

Rir para eliminar o stress

 

  Dificuldades em visualizar este email?

Consulte-o online!

Costuma-se dizer que o riso é o melhor remédio e a ciência está a começar a provar que o velho adágio pode ser mais verdadeiro do que se pensava.

Há muito que se sabe que o riso torna as pessoas mais felizes mas um novo estudo demonstrou que mesmo a antecipação de uma boa gargalhada já é bom para a saúde.

Quando estamos stressados o corpo constringe os vasos sanguíneos, eleva a produção de hormonas de stress potencialmente perigosas e aumenta a pressão sanguínea. Curtos períodos de stress são normais e não são perigosos mas ao longo de períodos maiores o stress enfraquece o sistema imunitário e aumenta o risco de problemas cardíacos.

Em 2005 investigadores descobriram que rir baixava a pressão arterial mas o mecanismo bioquímico que o causava permanecia pouco claro. Agora, Lee Berk, da Universidade de Loma Linda na Califórnia, vieram revelar parte da resposta.

Em 2006, Berk já tinha descoberto que só a antecipação do riso já aumentava a produção de hormonas de boa disposição, chamadas β-endorfinas, e a hormona de crescimento, que reforça o sistema imunitário, em 27% e 87%, respectivamente. 

Esta descoberta levou a equipa a ponderar se a ligação entre a redução da pressão sanguínea e o riso poderia ser o resultado de o riso interferir de alguma forma com a produção de hormonas do stress.

Para testar esta hipótese, trabalharam com um grupo de 16 homens. A metade foi dito que iriam ver um vídeo engraçado que os próprios já tinham escolhido anteriormente, à outra metade foi dito que iriam ficar sentados numa sala com revistas.

Os investigadores seguiram os homens relativamente aos níveis de hormonas de stress como o cortisol e a adrenalina e ácido dihidroxifenilacético (DOPAC), um metabolito da dopamina que ajuda a produzir adrenalina, ao longo de toda a experiência.

 

Berk descobriu que os níveis de todas as três moléculas de stress diminuíram antes, durante e após os homens verem os seus vídeos. Trinta minutos após verem os vídeos, o cortisol tinha diminuído 67%, a adrenalina 35% e o DOPAC 69%. 

Mas o que realmente chocou os investigadores foi que o cortisol, a adrenalina e o DOPAC diminuíram 39%, 70% e 38% respectivamente antes de algo engraçado ser visto. “Parece que basta ter um coração alegre em antecipação da experiência feliz para baixar os níveis de stress", diz Berk.

Berk leva muito a sério o estudo do riso pois as implicações são imensas. “Isto não é nenhuma piada, temos que começar a receitar humor como medicamento", diz ele. Os problemas imunitários são exacerbados pelo stress e se estes pacientes puderem antecipar a felicidade ou o riso e isso reduzir a concentração de moléculas de stress no sangue, então esta terapia pode fazer muito bem.

As hormonas de stress fazem muito mais do que regular o sistema imunitário, contribuem para a depressão, pressão alta e diabetes, diz Bruce Rabin, patologista e psiquiatra na Universidade de Pittsburgh na Pennsylvania. “Parece que a minha avó é que tinha razão, rir é o melhor remédio."

O próximo passo é compreender os percursos bioquímicos que permitem a comunicação entre a região do humor no cérebro e a região libertadora das hormonas dos sistemas endócrino e imunitário. Berk pensa que as citoquinas, péptidos produzidos pelo sistema imunitário que regulam a forma como este responde a antigénios e a actividade neurológica, são a chave. 

 

 

Saber mais:

Rir faz o nariz vermelho

Riso dos animais não é anedota

 

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

simbiotica.org  |  Arquivo Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2008

Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com