2008-03-29

Subject: Cidades apagam as luzes em nome do ambiente

 

Cidades apagam as luzes em nome do ambiente

 

  Dificuldades em visualizar este email?

Consulte-o online!

Sydney antes e depois de apagar as luzes a 29 de Março Cidades e vilas de todo o mundo apagaram as luzes durante uma hora como forma de marcar posição e alertar para a ameaça das alterações climáticas.

Sydney foi a primeira grande metrópole a começar a "Earth Hour", quando às 20 horas locais (9 horas em Portugal continental) as luzes se apagaram em locais emblemáticos como a Ópera ou a ponte do porto.

Seguidamente as luzes apagaram-se em Bangkok, Manila, Budapeste, Copenhaga e Dublin, à medida que essas cidades se juntavam a esta manifestação mundial. Toronto, Chicago, San Francisco e muitas outras também o fizeram às 20 horas locais.

Os críticos desvalorizaram o evento, classificando-o de fantochada que terá um impacto mínimo.

Os australianos assinalaram a Earth Hour realizando festas na praia à luz de velas, jantares e jogos de poker, juntamente com danças tradicionais aborígenes à luz de tochas.

Na Nova Zelândia, milhares de lares e mais de 100 negócios em Christchurch apagaram as luzes.

A delegação na Tailândia do WWF referiu que o apagar de luzes em Bangkok permitiu poupar 73,34 megawatts de electricidade, que para serem obtidos teriam resultado na produção de 45,8 toneladas de dióxido de carbono.

A iniciativa teve início em Sydney no ano passado, quando o que se estima terem sido mais de dois milhões de residentes participaram, reduzindo o consumo de energia em mais de 10% durante a hora.

Os organizadores esperavam que centenas de cidades e vilas em todo o mundo participassem no evento e esperam que algumas capitais não oficialmente envolvidas, como Londres e Roma, assinalem o evento reduzindo a intensidade das luzes em alguns monumentos.

 

Não querendo deixar de contribuir, o motor de busca da internet Google colocou um fundo escuro na sua página inicial durante a Earth Hour.

Os organizadores insistem no facto que o objectivo da Earth Hour é demonstrar que as comunidades se preocupam verdadeiramente com as alterações climáticas e querem colocar mais pressão sobre os seus governos para que ajam de forma decisiva.

Andy Ridley, do WWF, e que está por trás da iniciativa, refere que o interesse pela iniciativa foi imenso. "Estamos a par de pequenas vilas em Norfolk, Inglaterra, por exemplo, que vão participar em bloco na Earth Hour, da mesma forma que sabemos de cidades gigantes como Chicago e Sydney que também participaram."

A Austrália é um dos piores emissores de gases de efeito de estufa per capita e muitos acreditam que as recentes secas e inundações são o resultado da influência destabilizadora do Homem sobre o clima.

O novo primeiro-ministro australiano, Kevin Rudd, tornou o ambiente uma das suas prioridades, assinando o Protocolo de Quioto sobre a redução das emissões causadoras de alterações climáticas logo que tomou posse do cargo. 

 

 

Saber mais:

Earth Hour

Earth Hour 2008 - 60 minutos de luzes apagadas para iluminar consciências

 

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

simbiotica.org  |  Arquivo Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2008

Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com