2008-02-01

Subject: Fontes hidrotermais das profundidades produzem petróleo e gás

 

Fontes hidrotermais das profundidades produzem petróleo e gás

 

   

As fontes termais submarinas podem fornecer tesouros inesperados: gás natural e os blocos de construção de produtos petrolíferos.

Numa nova análise da Cidade Perdida, um campo hidrotermal no meio do Atlântico, os investigadores descobriram que estas moléculas estão a ser criadas através de processos inorgânicos, em vez de da típica decomposição de material anteriormente vivo.

A maior parte do petróleo dos depósitos de petróleo e gás natural do planeta foram criados quando matéria orgânica em decomposição foi  'cozinhada' com as altas temperaturas das profundidades da crosta. Mas hidrocarbonetos não biológicos também foram encontrados profundamente no interior da Terra, onde processos químicos criam as suas moléculas a partir de fontes inorgânicas, como a própria rocha.

Ainda que os investigadores tenham visto algumas evidências da produção inorgânica de hidrogénio no oceano, a Cidade Perdida “é o primeiro exemplo realmente claro de um marinho de grande profundidade onde os hidrocarbonetos estão a ser sintetizados abioticamente”, diz Giora Proskurowski, do Woods Hole Oceanographic Institution do Massachusetts, um dos investigadores que fez a descoberta.

As fontes termais da Cidade Perdida, algumas das quais têm 60 metros de altura, estão localizadas sobre depósitos ricos em magnésio e ferro de rochas ultramáficas. 

Os minerais contidos nas rochas interagem com a água para produzir um ambiente abundante em hidrogénio, o que o torna favorável do ponto de vista químico para a criação de moléculas de hidrocarbonetos que compõem o petróleo e o gás.

Em 2003, Proskurowski desceu 800 metros sob as ondas para recolher o líquido que borbulha destas fontes hidrotermais. Ele e a sua equipa regressaram em 2005 com um submarino operado remotamente para recolher mais amostras e ao analisar os isótopos de carbono que trouxeram descobriram que os átomos de carbono e hidrogénio pareciam provir do manto e não de matéria biológica dos sedimentos.

Recolher amostras de fluidos a estas profundidades pode ser complicado pois recolher apenas 150 milímetros de líquido exige um contentor rodeado por mais de 9 quilogramas de titânio para impedir a despressurização, explica Proskurowski.

 

Para eliminar a possibilidade de os hidrocarbonetos recolhidos no fundo do mar terem sido criados a partir de material biológico, a equipa analisou diversos tipos de isótopos.

Entre outras medidas, a equipa analisou a quantidade de carbono-13 no metano, que contém um átomo de carbono, bem como noutros hidrocarbonetos com até 4 átomos de carbono. À medida que o número de átomos de carbono subia, a concentração de carbono-13 descia, a tendência oposta à que se nota nos hidrocarbonetos derivados de material biológico.

Em vez, o padrão sugere que um processo conhecido por processo Fischer-Tropsch está a decorrer na Cidade Perdida, criando hidrocarbonetos cada vez maiores no seio de um ambiente rico em hidrogénio.

Ainda que as concentrações sejam demasiado pequenas para serem detectadas sem um filtro, pequenas quantidades de hidrocarbonetos maiores como a querosene e as octanas também podem ser produzidos.

A equipa também descobriu que o metano da Cidade Perdida não continha carbono-14, sugerindo que a fonte de carbono para estes hidrocarbonetos é o manto, muito longe de organismos que poderiam ter contacto com o ciclo global do carbono à superfície.

“Havia sempre uma dúvida irritante sobre se haveria alguma contribuição biológica, como a da matéria em decomposição", diz Tom McCollom, do Laboratory for Atmospheric and Space Physics da Universidade do Colorado, Boulder. “Isto realmente fornece uma forma de eliminar essa incerteza."

Neste ponto, acrescenta McCollom, ninguém sabe quantas fontes de hidrocarbonetos existem no fundo do mar mas o tipo de rochas encontrado na Cidade Perdida é comum noutras regiões oceânicas, sugerindo que pode ser um fenómeno vulgar. 

 

 

Saber mais:

Woods Hole Oceanographic Institution

Teoria sobre a origem da vida testada

Corais de água fria são importantes habitats marinhos

 

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

simbiotica.org  |  Arquivo Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2008

Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com