2004-02-03

Subject: Sons dentro do útero revelados 

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Sons dentro do útero revelados 

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

Uma equipa de investigadores americanos fez uma tentativa bastante inventiva para descobrir o que um bebé pode ouvir dentro do útero, realizando gravações a partir do ouvido interno de um feto de ovelha. 

Descobriram que as baixas frequências alcançam facilmente o interior do útero, enquanto os sons de alta frequência são mais abafados. Esta descoberta implica que os sons de vogais, a chamada melodia da linguagem, alcançam os ouvidos do feto, explica Ken Gerhardt da Universidade da Flórida, chefe do estudo. No entanto, as consoantes, que são "cuspidas" a frequências mais elevadas, passam despercebidas. Um feto poderia ouvir as notas baixas de um piano mas não as mais elevadas, diz Gerhardt.

Os investigadores fizeram as gravações removendo um feto de ovelha do útero e inserindo minúsculos eléctrodos no seu ouvido interno. Os implantes captaram os sinais eléctricos gerados pelo ouvido, em resposta ao som. De seguida, o feto foi reinserido no útero, onde foi sujeito à fala humana através de um alto-falante colocado ao lado do corpo da mãe. 

Quando os investigadores pediram a voluntários para ouvir os sons gravados no útero, os ouvintes identificaram correctamente apenas 40% das palavras. 

As gravações devem ser muito semelhantes à forma como o feto ouve as vozes, incluindo a da sua mãe, explica o psicólogo do desenvolvimento Anthony DeCaspe, da Universidade da Carolina do Norte. O feto deverá ouvir um ruído abafado e sem grande definição. 

Gerhardt está confiante que a acústica dos úteros humanos e de ovelha são basicamente iguais, pois a ovelha é geralmente o animal de estudo para investigação sobre a gravidez. 

 

O estudo aumenta o nosso conhecimento do que significa ser um feto. a revelação de que o som alcança o feto pode ajudar a perceber o desenvolvimento da fala e da audição após o nascimento, por exemplo. 

O facto de que as paredes do útero absorvem parte dos sons do exterior é um alívio para os que se preocupam com o efeito do barulho exterior sobre o desenvolvimento dos bebés. Os peritos de saúde há muito que se preocupavam com as mães que trabalhavam em fábricas barulhentas ou vão a concertos rock, que puderiam estar a estar a colocar os ouvidos dos seus bebés em perigo. 

Este estudo também sugere que as mães que tocam música para os seus bebés devem escolher algo com grande quantidade de sons baixo, se querem que os seus filhos oiçam as notas. 

Não existe, no entanto, forma de saber a partir dele se esta prática auditiva dá uma ajuda após o nascimento, diz Alexandra Lamont, que estuda o início do desenvolvimento na Universidade de Keele. As pessoas tentam "ensinar" os seus bebés tocando-lhes música quando ainda no útero, mas não existe nenhuma evidência que sugira que existe uma vantagem real nesta atitude, conclui Lamont. 

 

 

Saber mais: 

Desenvolvimento em Vertebrados

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com