2008-01-11

Subject: Anti-histamínicos pioram alergias?

 

Anti-histamínicos pioram alergias? 

 

   

Tomar anti-histamínicos pode ser uma óptima forma de combater uma alergia mas agora um novo estudo vem sugerir que também pode vir a tornar o próximo ataque mais forte.

As alergias são reacções imunitárias a substâncias estranhas que normalmente não colocam qualquer tipo de ameaça ao corpo, desde amendoins ao pólen, que podem desencadear-se após uma exposição repetida a esses ditos alergénios.

Em teoria, mesmo se alguém tem uma predisposição genética para reagir aos amendoins, não irá reagir ao primeiro amendoim que encontra, é com o segundo que têm que se preocupar.

Os anti-histamínicos, com a sua capacidade de perturbar as respostas imunitárias que conduzem às incomodativas reacções como narizes pingões e tecidos inchados, há muito que são considerados a forma ideal de controlar as alergias mas os seus efeitos a longo prazo sobre o sistema imunitário são desconhecidos.

Para explorar esta questão, uma equipa liderada por Pål Johansen, da Universidade de Zurique, estudou 50 ratinhos inicialmente injectados com veneno de abelha, uma substância a que praticamente todos os organismos desenvolvem uma alergia quando expostos. Metade dos ratos receberam também 100 microgramas do anti-histamínico Clemastine imediatamente antes de receberem o veneno e mais 100 microgramas a cada dois dias depois.

Seis semanas depois, Johansen injectou os ratos com outra dose de veneno de abelha e seguiu as reacções alérgicas. Ele relata na revista Clinical and Experimental Allergy que os ratos que receberam anti-histamínicos reagiram mais violentamente à segundo injecção de veneno.

"Acreditamos que os anti-histamínicos estão a fazer algo mais que perturbar a reacção imunitária imediata à primeira dose de veneno", diz Johansen. “Pensamos que também impedem o sistema imunitário de se habituar a essa dose." Isso significa que os ratos com medicamentos para a alergia não tiveram a possibilidade de adquirir tolerância ao alergénio.

 

Numa segunda parte do estudo, a equipa de Johansen dessensibilizou os ratos ao veneno de abelha através da imunoterapia, um processo que consiste na introdução de pequenas quantidades da substância alergénica num indivíduo alérgico, ajudando lentamente o sistema imunitário a tolerar a substância (neste caso usaram um terço da dose de veneno usada para provocar a reacção). Ao contrário dos anti-histamínicos, a imunoterapia consegue alterar permanentemente a forma como o corpo responde à substância, curando a alergia.

Os ratos que originalmente tomaram anti-histamínicos quando sensibilizados com o veneno responderam de forma mais fraca à imunoterapia que os outros ratos. “Isto foi realmente surpreendente porque outros já tinham alegado que os anti-histamínicos ajudavam na imunoterapia, o que não foi o que observámos", diz Johansen.

Este trabalho é importante para a compreensão da forma como o sistema imunitário interage com os anti-histamínicos, diz Roger Katz, alergologista da Universidade da Califórnia, Los Angeles. Mas, acrescenta ele, "há o problema dos ratos e dos homens".

A imunoterapia humana é tipicamente feita ao longo de meses ou mesmo anos, não semanas, diz Katz, e os ratos do estudo receberam grande quantidade de Clemastine para o seu peso. Se eles metabolizassem o anti-histamínico mais lentamente que as pessoas, isto poderia levar a uma acumulação do medicamento, o que poderia afectar a função do sistema imunitário e potencialmente explicar os resultados.

Mas não existem provas de que os roedores e as pessoas metabolizem o Clemastine a uma taxa diferente, diz Cezmi Akdis, director do Instituto de Investigação sobre Alergias e Asma de Davos, Suíça. Os anti-histamínicos foram testados originalmente em roedores antes de serem usados no Homem, acrescenta ele, e há décadas de investigação sobre medicamentos nestes animais.

Apenas dois estudos sugerem que os anti-histamínicos ajudam na imunoterapia e este é o primeiro que os contradiz, diz Akdis. “Obviamente precisamos de realizar mais pesquisas nesta área." 

 

 

Saber mais:

Bebés reagem à vacina anti-gripe da mãe

Como ser desmazelado pode ajudar a ser saudável

 

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com