2007-12-01

Subject: Como obter uma barata zombie

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, a Rede Simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

Mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta imensa rede!

 

Em destaque:

Como obter uma barata zombie

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo

Os investigadores descobriram o truque neurológico usado por uma espécie de vespa que lhes permite transformar baratas em 'escravas zombies'.

A descoberta explica porquê, uma vez picadas, as baratas podem ser levadas por um mestre muito menos que elas a uma morte certa. 

Os investigadores provaram a sua teoria ao replicar o efeito e utilizando um antídoto que liberta as baratas do seu estado zombie.

Insectos zombie pode parecer algo saído do enredo de um filme de série B mas para a vespa esmeralda das baratas Ampulex compressa, são uma forma testada e comprovada de fornecer alimento às suas larvas esfomeadas.

A vespa, que vive em regiões tropicais de África, Índia e ilhas do Pacífico, depende das baratas para completar o seu sangrento ciclo de vida mas, ao contrário de muitos outros predadores venenosos que paralisam as suas vítimas antes de as devorarem ou arrastarem de volta ao seu covil, a picada da vespa deixa a barata capaz de andar mas incapaz de iniciar o seu próprio movimento.

A vespa agarra então a antena da barata e condu-la de volta ao ninho. A barata anda "como um cão de trela", diz Frederic Libersat, da Universidade Ben-Gurion no Negev israelita, que liderou a pesquisa e já tinha anteriormente descrito o comportamento das vespas em detalhe. Uma vez em casa, a vespa coloca um ovo no abdómen da dócil barata e a larva, depois de sair do ovo, devora o insecto indefeso. (veja também o vídeo Rituais voodoo de vespas e baratas zombies nas ilhas da Polinésia Francesa).

Mas ainda que o fenómeno da barata zombie esteja bem documentado, Libersat ainda não sabia exactamente como as vespas o conseguiam fazer. "Sabemos que a vespa injecta uma mistura rica em toxinas", diz Libersat, mas não era claro como o veneno conseguia alterar o comportamento das vítimas de forma tão subtil. 

 

Os investigadores sabiam que a vespa tem tendência a picar as baratas para as subjugar e depois uma segunda vez, de forma mais precisa, directamente no cérebro da vítima. Por isso suspeitaram que o veneno pode funcionar bloqueando um mensageiro químico chave.

Os resultados da sua última experiência, publicados na revista Journal of Experimental Biology, apoiam esta teoria. Os investigadores relatam que o veneno funciona bloqueando o neurotransmissor octopamina, envolvido na preparação de comportamentos complexos como o andar.

Libersat descobriu que conseguia restaurar o comportamento de andar espontâneo em baratas picadas ao administrar-lhes um composto que reactiva os receptores de octopamina no sistema nervoso central do insecto. Isto, conclui ele, significa que o veneno da vespa provavelmente actua bloqueando estes receptores.

Para além disso, os investigadores descobriram que injectando baratas não picadas por vespas com um composto que bloqueia estes mesmos receptores produzia um efeito semelhante ao do veneno. 

 

 

Saber mais:

Vídeo de vespa a atacar barata

Cobras que se deleitam em comer veneno

Veneno das cobras teve origem em órgãos vitais

Cobras ajudam na lavandaria

 

Comentar

Busca Imprimir  

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2007


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com