2007-11-05

Subject: Peixe-papagaio ajuda a reparar os recifes de coral

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, a Rede Simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

Mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta imensa rede!

 

Em destaque:

Peixe-papagaio ajuda a reparar os recifes de coral

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

Um colorido peixe pode muito bem ser a chave para salvar os recifes de coral das Caraíbas de entrar no declínio final, alegam os cientistas. 

A investigação anuncia que os recifes correm sério risco de ser completamente destruídos pelo crescente influxo de algas mas algumas acções urgentes, como a protecção ao peixe-papagaio, que se alimenta destes vegetais invasores, pode impedir que estes ecossistemas únicos ultrapassem o ponto de não retorno.

Peter Mumby, ecologista marinho da Universidade de Exeter e principal autor do estudo agora publicado na revista científica Nature, comenta: "Estamos a observar mais e mais recifes de coral a serem completamente engolidos pelas algas."

Os recifes de coral das Caraíbas estão entre alguns dos mais fortemente afectados em todo o mundo. Estão rapidamente a transformar-se de domínios do coral para refúgios inundados por algas.

Este crescimento anormal das algas é estimulado pela actividade humana, como a lixiviação de fertilizantes agrícolas para as águas costeiras e pela sobreexploração dos stocks pesqueiros, explica Mumby.

"Para completar o rol destes problemas ainda temos stresses climáticos, cada vez mais intensos e mais inevitáveis, que causam problemas graves como o aquecimento das águas do mar e o aumento dos furacões", acrescenta ele.

Mumby e a sua equipa utilizaram simulações de computador para prever se os recifes conseguiriam recuperar uma vez que as algas se estabelecessem, especialmente se algumas das pressões que actuam sobre eles fossem removidas.

"Um recife pode ficar tão danificado que nunca mais recupere a saúde. Descobrimos que só podemos empurrar o recife até um certo ponto, antes de ser extremamente difícil que recupere, é como a gota de água que faz transbordar o copo."

Esta situação seria devastadora para centenas de espécies que procuram abrigo nos recifes, bem como para milhões de pessoas que deles dependem para o seu modo de vida. A equipa alerta para a necessidade de acção urgente antes que o recife atinja o ponto de não retorno. 

 

Mumby refere: "A mensagem chave é que temos que agir rapidamente. Não está bem esperarmos até o recife esteja tão degradado e depois dizer: 'agora é que é tempo de agir', temos que impedir que estes recifes fiquem degradados desde já."

Uma das medidas simples que pode impedir os recifes de ficarem tão degradados que já não possam ser reparados, considera ele, é proteger os peixes-papagaio que vivem na zona.

"Os peixes-papagaio andam por ali, pastando grande parte das algas, desempenham um papel muito importante no ecossistema", explica o investigador.

No entanto, estes belos peixes tropicais estão ameaçados pois são uma iguaria muito procurada em muitas partes das Caraíbas e são frequentemente capturas secundárias nas redes de pesca.

"Temos que aprender a gerir o seu efectivo do ponto de vista de stock pesqueiro e ainda assim manter grande número destes animais no recife. A capacidade do recife para recuperar será muito diminuída se os peixes-papagaio forem removidos do ecossistema." 

 

 

Saber mais:

Oceanos ameaçados por aumento da acidez

Corais podem ter ajuda contra aquecimento global

Corais de água fria são importantes habitats marinhos

Recifes australianos têm os dias contados

 

Comentar

Busca Imprimir  

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2007


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com