2007-09-20

Subject: Insectos travam estranha guerra dos sexos

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, a Rede Simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

Mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta imensa rede!

 

Em destaque:

Insectos travam estranha guerra dos sexos

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

Cientistas pesquisando em remotas cavernas do leste de África tropeçaram num estranho exemplo de guerra dos sexos. No mundo dos escaravelhos dos morcegos africanos, descobriram eles, os machos aprenderam a imitar as fêmeas para reduzir o trauma dos encontros sexuais e as fêmeas estão a retaliar imitando os machos.

O bizarro resultado desta situação invulgar é que existem dois tipos de genitália feminina. Algumas fêmeas parecem femininas e outras parecem-se com machos.

Para o escaravelho dos morcegos africano, um parasita avermelhado que geralmente se alimenta de sangue dos morcegos mas que também ataca o Homem, o acasalamento é algo perigoso. Os machos perfuram os flancos das parceiras para as fecundar, o que pode pode conduzir à morte. Para além disso, os machos atacam-se uns aos outros frequentemente.

Em resposta, tanto os machos como as fêmeas desenvolveram estruturas características para ajudar a reduzir o trauma de um ataque sexual: um funil não genital que torna mais fácil a penetração da sonda hipodérmica. Isto encoraja a que a perfuração ocorra sempre no mesmo local, reduzindo os locais feridos e guiando a sonda directamente para um reservatório de células imunitárias que ajudam a reduzir o impacto do ferimento.

O problema para os machos é que esta estrutura também os faz parecer mais femininos, logo aumenta a probabilidade de serem atacados sexualmente. Para assinalar que são machos, adoptaram um funil de forma diferente, mais aberto e exposto, o que reduz eficazmente a frequência de ataques por parte de outros machos, descobriram os investigadores.

Mas a batalha dos sexos não termina aqui.

 

Algumas fêmeas também abraçaram esta nova forma para reduzir a sua atractividade sexual e diminuir o número de encontros traumáticos que resultam em ferimentos profundos. Os investigadores que estão a investigar esta estranha adaptação sexual notaram que as fêmeas com a forma genital mais aberta têm menos cicatrizes de acasalamento do que as com a forma tradicional, mais fechada.

O escaravelho dos morcegos fornece um raro exemplo de um animal que mantém permanentemente vários tipos genitais femininos distintos. "A importância do polimorfismo sexual feminino tem sido ignorado desde há muito", diz Erik Svensson, da Universidade de Lund na Suécia, o biólogo que estuda este estranho conflito sexual.

O motivo porque algumas fêmeas mantêm a genitália fechada permanece desconhecido. "Há um equilíbrio entre a redução dos custos do acasalamento e a redução da produção de descendentes", diz Klaus Reinhardt, da Universidade de Sheffield, que liderou o estudo e relata as suas descobertas na próxima edição da revista American Naturalist. Para estas fêmeas, talvez seja difícil a escolha entre vestirem-se como um macho ou curarem as feridas. 

 

 

Saber mais:

Mudança de sexo dizima espécies invasoras

Ratos macho assinalam a sua disponibilidade com lágrimas

Ornitorrinco tem 10 cromossomas sexuais

 

Comentar

Busca Imprimir  

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2007


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com