2007-09-06

Subject: Moreias imitam Alien

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, a Rede Simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

Mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta imensa rede!

 

Em destaque:

Moreias imitam Alien

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

O segundo maxilar de uma moreia permanece recolhido (topo) antes de saltar para fora de forma a ajudar na captura da presa (baixo) . Clique aqui para ver um vídeo. 

Investigadores que estudam uma espécie de moreia descobriram um segredo mortífero que ajuda este peixe com aspecto de cobra a engolir as suas presas. 

Tal como o temível extraterrestre do clássico filme de terror Alien, estes predadores da vida real têm um segunda par, extensível, de maxilas incrustadas de dentes aguçados, que se impulsiona para a frente para capturar peixes e camarões desprevenidos.

Vídeos de alta velocidade e fotografias em raio X como as do lado mostram como as segundas maxilas, designadas maxilas faríngicas, ficam alojadas no interior da garganta e depois se estendem para a frente para agarrar a presa que foi capturada pelos dentes principais da moreia. O pedacinho de alimento é depois recolhido para o esófago.

Esta situação ajuda as moreias Muraena retifera a ser caçadoras mortíferas, apesar do facto de, ao contrário de outros peixes predadores, não conseguirem gerar fortes forças de sucção no interior da cavidade bocal ao capturar a refeição. Os zoólogos já se tinham questionado acerca da forma como as moreias, habitantes de recifes de coral e costas rochosas de todo o mundo, conseguiriam agarrar a presa tempo suficiente para a engolir.

Ao contrário do pesadelo de Sigourney Weaver no grande écran, as moreias não conseguem estender o seu segundo conjunto de maxilas para fora além do primeiro mas a capacidade de dar não uma mas duas dentadas não deixa de ser uma arma potente na sua alimentação, dizem Rita Mehta e Peter Wainwright, ambos da Universidade da Califórnia, Davis, responsáveis pela descoberta.

"As moreias são muito respeitadas e frequentemente temidas pelos pescadores devido aos seus dentes aguçados mas penso que motivo melhor para a fama serão as maxilas faríngicas", comenta Mark Westneat, do Field Museum of Natural History de Chicago.

 

Muitos peixes têm maxilas extra na garganta, que funcionam como um filtro para retirar alimento da água ou para moer a presa antes de ser engolida. No entanto, as maxilas extensíveis da moreia são as primeiras maxilas de garganta conhecidas que estão adaptadas para ajudar a capturar presas e não apenas a ajudar a engoli-las, explicam os investigadores na última edição da revista Nature.

O truque também aumenta a espantosa semelhante entre as moreias e as cobras, apesar do facto de pertencerem a classes totalmente diferentes de vertebrados. 

Os investigadores salientam que a dentada dupla da moreia, que agarra a presa antes que esta fuja, pode ser comparada com o processo de aumento do tamanho da abertura bocal pelo qual as cobras gradualmente engolem presas muito maiores que o seu diâmetro corporal.

Westneat diz que a descoberta parece saída do tempo em que os cientistas descobriam fenómenos naturais em vez de desenvolver teorias e as testar posteriormente. Ele considera-a "um exemplo clássico de ciência baseada na descoberta de um momento de deixar a boca aberta". 

 

 

Saber mais:

Evolution and Ecology, University of California, Davis

Field Museum of Natural History

 

Comentar

Busca Imprimir  

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2007


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com