2003-10-07

Subject: Barragens responsáveis pela redução de enguias

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do Boletim Informativo Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Barragens responsáveis pela redução de enguias

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

As populações europeias de enguia estão reduzidas a 1% do que eram em 1980, e as suas parentes americanas também está seriamente ameaçada: o seu número na região dos Grandes Lagos entrou em colapso nos últimos 5 anos, quase extinguindo a industria pesqueira deste peixe na zona. A Dinamarca também esgotou as suas populações, estando em curso um programa de reintrodução da espécie. 

Este cenário catastrófico é atribuído às grandes barragens construídas nos rios europeus e americanos: as enguias europeias e americanas migram da água doce, onde vivem a maior parte da sua vida, para um local ainda não definido no mar do Sargaço (Atlântico norte), onde desovam e morrem. 

Nos estuários, as larvas de enguia transformam-se no que os pescadores chamam "enguias de vidro", pequenas e transparentes. Vão-se tornando mais amareladas à medida que se deslocam para montante nos rios, amadurecendo até adultos prateados mais de uma década depois. No entanto, para muitas destas larvas, as barragens tornam esta jornada impossível. 

Dado que ainda não foi possível criar enguias em aquacultura esta situação é muito preocupante, pois  as larvas são vendidas como petiscos muito apreciados ou enviadas para a China ou para o Japão. 

Em Espanha e Portugal, onde as últimas populações europeias ainda sobrevivem, as barragens "fecharam" mais de 90% dos rios às enguias. A construção de "escadas para peixes" iria ajudar as enguias, e outras espécies, a atravessar as barragens, mas muito poucos construtores se preocuparam com isso. 

Outros problemas preocupam os cientistas que estudam as enguias: os peixes ricos em óleos acumulam PCB e outros venenos químicos persistentes e uma infecção parasitária originada no Japão contamina quase todo o efectivo europeu. 

Os alertas sobre o controlo da pesca da enguia já vêm desde 1997 mas os governos pouco fizeram. Neste momento ainda é possível salvar a espécie mas é preciso actuação pronta, antes que seja tarde demais. 

 

 

 

 

"Enguias de vidro"

"Escada" para peixes migradores na barragem no rio Columbia

  Saber mais:   

Biologia das enguias

Impacto de grandes barragens na biodiversidade

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo?? 

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2003


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com