2007-08-04

Subject: Inovação resultante do trabalho de cientista caído em desgraça

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, a Rede Simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

Mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta imensa rede!

 

Em destaque:

Inovação resultante do trabalho de cientista caído em desgraça

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

O cientista que forjou a sua investigação pode na realidade ter feito uma descoberta inovadora, sem se ter apercebido.

O sul-coreano Woo Suk Hwang ficou famoso depois de ter alegado que tinha extraído a primeira linhagem de células estaminais a partir de um embrião. Posteriormente descobriu-se que tinha mentido acerca do seu trabalho e da fonte das suas células.

Mas uma análise da revista Cell Stem Cell revela que ele pode ter produzido células estaminais a partir de óvulos humanos, uma situação potencialmente ainda mais vantajosa.

O episódio Hwang, descoberto em 2005, é um dos maiores escândalos científicos dos últimos tempos.

O seu trabalho na Universidade Nacional de Seul valeu-lhe o estatuto de herói nacional e uma edição comemorativa de selos.

Hwang disse na altura que tinha criado embriões humanos clonados ao colocar o núcleo da célula a ser clonada num zigoto sem núcleo e que, seguidamente, tinha conseguido extrair células estaminais dos embriões resultantes.

Os cientistas estão entusiasmados com o potencial das células estaminais porque são as células totipotentes, ou seja, com capacidade de se transformar em qualquer tipo de célula do nosso corpo, quem sabe conseguindo substituir aquelas que se perdem devido à idade ou às doenças.

No entanto, posteriormente ficou claro que o coreano tinha usado óvulos de jovens investigadoras do seu laboratório para criar os embriões, o que por si só é uma falha ética imperdoável, e que as células estaminais resultantes não provinham de embriões clonados.

Com a sua investigação desacreditada, o coreano foi demitido do seu posto na universidade e acusado de fraude e desfalque.

A última reviravolta veio do Harvard Stem Cell Institute, que analisou de perto os seus dados e descobriu que as células eram na realidade de um tipo diferente de embrião.

Os investigadores dizem que a impressão digital única das células estaminais significa que estas podem ser as primeiras a ser extraídas de embriões produzidos através dos chamados 'nascimentos virgens' ou partenogénese.

Esta situação ocorre quando um óvulo é estimulado a funcionar como ovo ou zigoto e se desenvolve num embrião ser ter sido fertilizado por um espermatozóide e já foi produzida em laboratório noutros animais.

No entanto, antes de Hwang, ninguém tinha conseguido produzir um embrião humano através de partenogénese, não um que tenha vivido o tempo suficiente para se extrair células estaminais viáveis.

 

George Daley, que liderou a análise, comenta: "Infelizmente na altura em que publicaram o seu trabalho não sabiam o que tinham alcançado logo tinham isolado estas células estaminais embrionárias partenogénicas por engano e apresentaram-nas erradamente como verdadeiros clones."

"De facto, o que tinham feito foi produzir as primeiras células estaminais embrionárias específicas de um paciente do mundo e isso é muito valioso. Os cientistas interessados em modelar doenças complexas adorariam ser capazes de colocar as próprias células de um paciente numa caixa de Petri na sua forma embrionária."

Azim Surani, da Universidade de Cambridge, desenvolveu anos de experiências para produzir células estaminais partenogénicas em ratos e diz que Hwang provavelmente sem querer estimulou os óvulos humanos a dividir-se ao tentar produzir os embriões clonados.

Surani considera que o avanço inadvertido de Hwang pode na realidade ajudar mais do que os esforços para clonar embriões humanos, que alegou fraudulentamente ter conseguido.

"Sempre defendi a ideia de produzir embriões a partir de óvulos humanos, porque é muito menos desafiador eticamente e a eficiência das células estaminais é mais elevada do que a dos embriões clonados", diz ele.

Ainda assim, neste momento não se sabe o significado da falta da contribuição do DNA do pai para esses embriões. 

 

 

Saber mais:

Cell Stem Cell

Uma década depois de Dolly ...

Investigação revela que Hwang mentiu

Sucesso sul-coreano na clonagem era falso?

 

Comentar

Busca Imprimir  

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2007


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com