2007-06-27

Subject: Será este um mundo 'chimpanzé ajuda chimpanzé'?

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, a Rede Simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

Mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta imensa rede!

 

Em destaque:

Será este um mundo 'chimpanzé ajuda chimpanzé'?

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

Os humanos costumam ser considerados como a única espécie verdadeiramente altruística. Nós ajudamos outros, damos sangue, fazemos doações aos mais pobres ou reciclando, ainda que não tenhamos um retorno imediato e muitas vezes à custa de nós próprios.

Mas agora, evidências estão a aumentar de que podemos não ser os únicos. Felix Warneken, do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva de Leipzig, demonstrou que os chimpanzés fazem favores a chimpanzés com os quais não têm relação de parentesco, mesmo quando não são recompensados por isso.

Estudos anteriores tinham refutado a ideia de que os chimpanzés fossem assim generosos. Em 2005, a antropóloga Joan Silk, da Universidade da Califórnia, Los Angeles, descobriu que quando apresentava aos chimpanzés a hipótese de obterem comida só para si ou para todo o grupo, eles não mostravam qualquer preferência em alimentar os amigos.

No entanto, outros trabalhos mostraram que os chimpanzés também podem ter uma veia altruísta. Num estudo publicado na revista Science no ano passado, uma equipa de Leipzig relatava que os chimpanzés ajudavam os seus tratadores humanos a recuperar uma caneta que tivessem deixado cair, uma acção sem benefícios directos para o chimpanzé.

Esse estudo envolvia chimpanzés que ajudavam tratadores humanos que lhes eram familiares e que, noutras ocasiões, lhes tinham dado comida. Para retirar esse tipo de complicação, a equipa de Leipzig reproduziu a experiência de deixar cair a caneta com humanos não familiares. Tal como relatam na última edição da revista PLoS Biology, os chimpanzés ainda assim optaram por ajudar.

A equipa realizou também uma outra experiência, para clarificar se os chimpanzés também seriam altruístas para os da sua espécie sem o engodo da recompensa. 

Colocaram um chimpanzé numa sala com uma porta fechada que conduzia a algumas bananas que ele tinha visto, e um segundo chimpanzé numa posição onde não podia ver as bananas mas podia abrir a porta. 

Quando o primeiro chimpanzé tentou abrir a porta, o segundo chimpanzé, ao aperceber-se da dificuldade mas sem saber qual era a razão para ela, puxava uma corrente que abria a porta. Nos testes, os chimpanzés ajudavam um companheiro em dificuldade cerca de 80% das vezes, mesmo sem saber que havia comida envolvida.

 

Warneken sugere que esta inteligente experiência prova o que ele e outros investigadores já pensavam dos chimpanzés mas ainda não tinha sido demonstrado. "Temos que nos afastar da questão 'será que existe altruísmo?' e passar para a questão 'em que circunstâncias é que os chimpanzés demonstram este comportamento?'", diz ele.

Silk diz-se impressionada com a experiência. "Isto levanta uma série de questões acerca do contexto e da motivação dos chimpanzés para se comportarem de uma forma benéfica para os outros", diz ela. "O que será que isto significa para eles?"

Mas Silk salienta que os resultados ainda podem não estar a revelar um verdadeiro altruísmo entre espécies. Ela imagina, por exemplo, se haverá alguma coisa de especial nestes chimpanzés, devido à forma como foram criados desde que saíram da natureza. Ela gostaria de ver a experiência feita com outros chimpanzés, ou que estes mesmos animais fizessem a sua experiência.

Ela também tem dúvidas acerca do impacto da idade do chimpanzés. Enquanto, o grupo de Warneken trabalhou com animais jovens, Silk usou animais mais velhos. Os chimpanzés podem ser mais selectivos acerca de quem ajudam, sugere ela.

Warneken está convencida que a sua experiência prova que os chimpanzés são altruístas. E se os chimpanzés podem faze-lo, as raízes da tendência na nossa própria espécie pode ser mais profundas do que antes se pensava. "A cultura e a educação não são as únicas origens destas atitudes altruístas", diz Warneken. A sociedade humana, diz ele, cultivou uma tendência que já existia, não inventou nada de novo. 

 

 

Saber mais:

Vídeos que mostram chimpanzés e crianças a ajudarem-se mutuamente

Chimpanzés lideram a corrida evolutiva

Abraços para evitar conflitos

Chimpanzés deixam a desejar em termos de amizade

 

 

Comentar esta notícia              Busca             Imprimir

 

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2007


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com