2007-05-04

Subject: Probióticos podem ajudar anfíbios

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, a Rede Simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

Mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta imensa rede!

 

Em destaque:

Probióticos podem ajudar anfíbios

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

Plantar bactérias na pele de rãs pode ajudar a salvar os anfíbios do seu declínio global, indicam novos estudos agora conhecidos. O trabalho mostra que probióticos de rãs podem ajudar no combate a um fungo causador de doenças.

Muitas populações de anfíbios estão em acentuado declínio e muitas já se extinguiram. Uma das principais causas é um fungo da espécie Batrachochytrium dendrobatidis, que vive na pele de algumas rãs e salamandras.

Tal como nos humanos, os anfíbios albergam uma comunidade de bactérias na pele, logo Reid Harris, da Universidade James Madison de Harrisonburg, Virginia, perguntou-se se as bactérias presentes na pele de anfíbios susceptíveis ao B. dendrobatidis teriam perdido a sua capacidade de combater o fungos.

Para testar a sua ideia, Harris isolou diferentes espécies de bactérias da pele de uma salamandra comum. Colocou estas espécies isoladamente a crescer sobre B. dendrobatidis numa caixa de Petri e descobriu que muitas delas matavam os fungos.

Agora mostraram que pelo menos uma destas espécies de bactéria, Pedobacter cryoconitis, pode ajudar os anfíbios a sobreviver. A equipa permitiu que salamandras de dorso vermelho nadassem num banho contendo estas bactérias durante duas horas e, de seguida, infectaram-nas com o fungo letal.

Quando testadas 18 dias depois, as salamandras que tinham recebido bactérias tinham cerca de 30% mais probabilidade de se terem visto livres da infecção fúngica que os animais não tratados. Harris especula que a bactéria provavelmente produz um antibiótico natural.

Outra bactéria, Pseudomonas reactans, tornou as salamandras mais susceptíveis ao fungo, talvez por ter desalojado as bactérias vulgares que combatem as infecções na pele.

 

Harris sugere que os stresses ambientais como a alteração climática ou a poluição podem estar a alterar a comunidade bacteriana da pele. Os animais em stress podem estar a produzir menos muco, de que as bactérias se alimentam, na pele ou a produzir mais hormonas de stress, encorajando o crescimento de bactérias diferentes.

Expor os anfíbios ameaçados às bactérias que combatem os fungos, talvez adicionando-as à água de lagos ou a locais que eles frequentam, pode ajudar a reverter o declínio de algumas populações, sugere Harris suggests. Com poucas opções disponíveis, esta estratégia vale a pena com certeza.

Como não é claro quanto tempo dura o efeito das bactérias, os microrganismos podem ter que ser introduzidos sucessivamente.

A ideia é semelhante à da comida e bebida probiótica que algumas pessoas usam para alterar a comunidade de microrganismos que vivem nos intestinos. Alguns investigadores também estão a brincar com a ideia de desenvolver probióticos para a pele humana.

 

 

Saber mais:

IUCN

AMNH Center for Biodiversity and Conservation

Morte de anfíbios associada ao aquecimento global

Testes de gravidez associados ao declínio dos anfíbios

Anfíbios enfrentam futuro sombrio

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2007


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com