2007-04-29

Subject: Cérebro de rato simulado em computador

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, a Rede Simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

Mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta imensa rede!

 

Em destaque:

Cérebro de rato simulado em computador

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

Investigadores americanos simularam metade de um cérebro virtual de rato num supercomputador. Os cientistas fizeram correr um 'simulador cortical' que era tão grande e tão complexo como metade do cérebro de um rato num supercomputador BlueGene L.

Noutras simulações menores os investigadores dizem que observaram características dos padrões de pensamento observados em cérebros de rato reais. Agora a equipa está a afinar a simulação para que corra mais depressa e se comporte mais como um verdadeiro cérebro.

O tecido cerebral apresenta um enorme problema para as simulações devido à sua complexidade e ao número de potenciais interacções entre os seus elementos.

Os três investigadores, James Frye, Rajagopal Ananthanarayanan e Dharmendra S Modha, explicaram a forma como o fizeram numa nota muito curta entitulada "Towards Real-Time, Mouse-Scale Cortical Simulations".

Metade de um cérebro real de rato pensa-se que tenha cerca de oito milhões de neurónios, cada um dos quais podendo ter até 8 mil sinapses com outras fibras nervosas.

Obter um modelo de um sistema deste tipo, escreve o trio, coloca "constrangimentos tremendos à computação, comunicação e capacidade de memória de qualquer plataforma computadorística".

A equipa, do Laboratório de Investigação IBM Almaden e da Universidade do Nevada, correu a simulação num supercomputador BlueGene L contendo 4096 processadores, cada um usando 256 MB de memória. Com esta máquina os investigadores criaram metade do cérebro virtual de um rato contendo 8 mil neurónios, cada um com cerca de 6300 sinapses.

A vasta complexidade da simulação significa que apenas pode funcionar durante 10 segundos a uma velocidade dez vezes mais baixa que a da vida real, o equivalente, portanto, a um segundo no funcionamento de um cérebro real de rato.

 

Em outras simulações menores os investigadores dizem que observaram "propriedades dinâmicas consistentes com a biologia" emergirem à medida que os impulsos nervosos fluíam através do córtex virtual.

Nestes outros testes, a equipa observou os grupos de neurónios a formarem espontaneamente novos grupos. Também observaram nervos nas sinapses simuladas a disparar de formas semelhantes aos padrões coordenados que se vêm na natureza.

Os investigadores dizem que apesar da simulação partilhar algumas semelhanças com o padrão mental do rato em termos de nervos e ligações, não tem as estruturas observadas nos cérebros reais dos ratos.

A imposição dessas estruturas e levar a simulação a fazer algum trabalho útil pode ser uma tarefa bem mais difícil do que simplesmente fazer as canalizações.

Para testes futuros, a equipa tenciona acelerar a simulação, torná-la mais fiel neurobiologicamente, acrescentar estruturas observadas nos cérebros reais de rato e tornar as respostas dos neurónios e das sinapses mais detalhadas. 

 

 

Saber mais:

BlueGene L

IBM Almaden

Universidade do Nevada

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2007


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com