2007-04-10

Subject: Arrefecimento da Terra associado à destruição total das florestas

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, a Rede Simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

Mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta imensa rede!

 

Em destaque:

Arrefecimento da Terra associado à destruição total das florestas

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

A desflorestação em larga escala, há muito apontada com um factor que contribui para as alterações climáticas, pode arrefecer a Terra, dizem os investigadores por trás de uma das primeiras tentativas para modelar o fenómeno à escala global.

O abate de florestas é frequentemente atacado porque as árvores vivas ajudam a limpar o dióxido de carbono, logo reduzem o aumento do teor de gases de efeito de estufa mas a desflorestação tem um impacto diferente dependendo do local do globo.

Nas latitudes mais elevadas, por exemplo, a remoção das florestas pode ajudar a arrefecer essas regiões pois as árvores absorvem a luz do Sol e vão ser substituídas por campos cobertos de neve que reflecte a luz. Já nas regiões tropicais, o corte das florestas significará que menos água é transferida dos solos para a atmosfera, significando menos nuvens e um planeta mais quente.

Ken Caldeira, da Carnegie Institution de Washington em Stanford, Califórnia, comparou estes dois efeitos e declara que o efeito da desflorestação boreal domina. A remoção da totalidade das florestas levaria a uma pequena redução no aquecimento global, prevê ele, o suficiente para deixar o mundo 0,3°C mais fresco em 2100.

A desflorestação total e repentina é irrealista, reconhece Caldeira mas ele considera que o modelo de uma abordagem extrema como essa permite-lhe separar o efeito das florestas no clima de outras influências, como a subida dos gases de efeito de estufa.

A descoberta deve ser analisada com precaução, alertam outros autores de modelos sobre a Terra. Colin Prentice, da Universidade de Bristol, diz que os modelos não são capazes de quantificar de forma exacta a forma como a luz do Sol é reflectida de volta para o espaço. Até que uma nova geração de simulações chegue, em que os parâmetros do modelo estejam mais próximos das observações, ele questiona a correcção dos resultados destas análises.

Ainda assim, outros acrescentam que o estudo de Caldeira é uma confirmação muito útil de trabalhos anteriores que se tinham focado nas florestas boreais ou tropicais individualmente.

A sua mensagem, no entanto, pode não ser popular. Após escrever sobre o seu trabalho no jornal New York Times, por exemplo, Caldeira recebeu mensagens acusando-o de defender a industria madeireira. Alguns investigadores também preferiam que ele não promovesse a mensagem: "Há um sentimento entre alguns colegas que ele devia permanecer silencioso acerca disto tudo."

 

Mas ele não pensa que o seu trabalho forneça justificação para o abate de árvores. "Uma das principais razões para temer o aquecimento global é a necessidade de proteger os ecossistemas", diz ele. "Destruir as florestas iria confundir o objectivo específico de combater as alterações climáticas com o objectivo mais geral de proteger o ambiente."

Para continuar o seu trabalho, ele e a sua equipa pretendem realizar simulações mais detalhadas. O tipo de floresta tem influência, por exemplo, pois as agulhas escuras dos pinheiros podem ter um impacto maior no aquecimento que as folhas claras dos abetos. Ele também pretende fazer simulações que sigam a desflorestação tropical projectada nos cenários utilizados pelo Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas.

Wolfgang Cramer, autor de modelos no Potsdam Institute for Climate Impact Research na Alemanha, acrescenta que é necessário mais trabalho de fundo para que se possa compreender de que forma a biosfera interage com o clima. Essa informação pode depois ser inserida nos modelos e talvez produza resultados mais úteis para os governantes e políticos. 

 

 

Saber mais:

Ken Caldeira

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2007


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com